sábado, 10 de setembro de 2011

GABI ACOLHIDA NA DOMUS JÁ TEM DOADOR DE MEDULA

A menina Gabi, de Antônio Prado, acolhida na Domus, recebe um sopro de esperança: conseguiu doador para sua medula.
Veja abaixo, mais detalhes na reportagem de Silvana Castro e de Fabiana Serafin, do Pioneiro.

DOAÇÃO: ESPERANÇA PARA GABI
Caxias do Sul – Nos mais de dois anos em que a filha Gabriele Delazari Rissardi, seis, convive com a leucemia, Derli, 30, acostumou-se a ser surpreendida. Assim aconteceu quando a menina renascia a cada recaída tida como sem volta. A última boa surpresa de Derli veio na sexta: foi encontrado um doador de medula compatível para Gabriele.

– Levei ela para consultar e perguntei se estava tudo bem com os exames. A médica disse que tinha duas notícias para me dar. A primeira era de que poderíamos ir para casa, em Antônio Prado, passar o fim de semana. E a segunda que tinham encontrado um doador para a Gabi. Achei que nem iria conseguir ir para casa, e acabei ouvindo coisa melhor ainda, recorda Derli, viúva, ex-industriária e ex-faxineira que teve de largar o serviço para se dedicar integralmente à menina.

A comemoração pela compatibilidade da medula foi em uma churrascaria, ainda na sexta. Na terra natal, Gabi teve tratamento de estrela. A notícia espalhou-se. No Orkut de Derli, pessoas que acompanham a trajetória da criança deixaram mensagens emocionantes. Derli recebeu felicitações por telefone de gente que nem conhece pessoalmente. À mãe, a menina vaidosa, risonha e reservada com estranhos confidenciou:

– Mãe, vou te falar: hoje é o dia mais feliz da minha vida.

Ainda em tratamento, a menina fica dentro de casa, especialmente nos dias frios. Mas nada impede brincadeiras na rua e passeios. Ontem, Gabriele foi pela primeira vez ao cinema. A guria assistiu a Os Smurfs, em Caxias.

– Ela adorou, está toda empolgada com os Smurfs. Ganhou um cartaz para colocar no quarto – contou Derli após a sessão.

Gabi e a mãe estão hospedadas na Casa Domus, entidade de amparo à criança e ao adolescente com câncer. A responsável pela Domus é Chalise Machado Vieira, 25, que venceu a leucemia aos 14 anos. É Chalise quem mantém a casa alegre com a experiência de quem já enfrentou as agruras da doença.

– Me dá um autógrafo? Tem um horário disponível para mim na tua agenda? – brincou Chalise com Gabriele quando a menina havia recolhido o sorriso.

Apaixonada por computador e pelo mundo das princesas, Gabriele vence a todos em jogos como paciência e de cartas. A história dela emocionou tanto que, ao dizer em uma entrevista que seu sonho era ganhar de aniversário um laptop e uma máquina fotográfica, foi presenteada com um notebook e cinco máquinas. O computador é seu companheiro nos dias de internação.

A leucemia foi diagnosticada quando ela tinha três anos, no início de 2009. De lá para cá, foi submetida a ciclos de quimioterapia três vezes.

A menina sofre de leucemia linfócita aguda, um tipo de câncer de alto risco. O tratamento nos últimos dois anos não foi suficiente para combater a doença. Uma de suas recaídas ocorreu há mais de dois meses. A mãe achou que iria perdê-la. Mesmo debilitada fisicamente, Gabriele se manteve forte e devolveu a coragem à mãe.

– Estava com pneumonia, com água nos pulmões e os rins tinham parado. Disseram que dava para chamar os parentes, que ela não passaria daquele fim de semana. Ela me olhava, passava a mão no meu rosto. Mas foi se recuperando de uma maneira que ninguém acredita. Ela tem uma força, quer viver. Para ela, não está doente – recorda Derli com os olhos marejados.

Como a batalha ainda não terminou, Gabi aprendeu uma maneira de enfrentar as internações sem maiores traumas: conversa com todo mundo e não deixa a tristeza tomar conta. Assim, os dias no hospital passam mais rápidos.

SOS Domus – A entidade que ajuda as famílias de crianças portadoras de câncer também precisa de ajuda. Criada em julho de 2010, a Casa de Amparo à Criança e ao Adolescente com Câncer da Serra Gaúcha será ampliada. Mantida pela Associação Domus, a casa abriga pacientes de 48 cidades de abrangência da 5ª Coordenadoria Regional de Saúde. A permanência na casa é durante o tratamento no Hospital Geral.

Contribuições em dinheiro podem ser feitas no Banrisul, agência 0180, conta corrente 06.181631.0-9 e CNPJ: 10.852.561/0001-72, em nome da AACC Serra Gaúcha Domus. A casa fica na Rua Doutor Roberto de Almeida, 471, bairro Universitário. Telefone (54) 3221.0849.

http://www.domusserragaucha.org.br/noticias.asp?idNoticia=35

*


Nenhum comentário:

Postar um comentário