quarta-feira, 30 de maio de 2012

Criança de Cacoal tem rara doença e precisa de ajuda urgente





O pequeno Alejandro Pitwak, 10 anos, foi diagnosticado por especialista de neurologia infantil de Porto Velho como portador de uma doença rara, conhecida como “Adrenoleucodistrofia” doença genética degenerativa. A enfermidade é a mesma do filme “Óleo de Lorenzo” que ataca a membrana que envolve os neurônios no cérebro.
A alternativa encontrada, para possível cura, está no transplante de medula óssea. Diante do avanço da doença, Alejandro não consegue tratamento no Brasil por razão de protocolo de segurança. A família pede apoio e solidariedade dos amigos, colegas de trabalho, enfim de toda sociedade para que o pequeno Alejandro consiga tratamento fora do País e saia vitorioso desta batalha.

Doações


Quem puder colaborar independente de valor, faça sua doação por depósito bancário na conta do pai de Alejandro. Eles (pais e a criança) se encontram em São Paulo em busca de recursos para embarcarem o mais rápido para os Estados Unidos. O pequeno Alejandro precisa fazer um transplante para poder continuar vivendo. O custo deste tratamento é altíssimo, dinheiro que a família não dispõe. Daí a importância de sua generosidade.


Banco do Brasil
Agencia: 1179-7
Conta Corrente: 10.203-2
Nome: Estanislau Pitwak Júnior (CPF: 418.766.282-00)
Informações: (69) 9256-3282 ou (69) 8491-5141 ou estelapitwakrossoni@hotmail.com (Estela Pitwak – Tia de Alejandro) ou (11) 4330-1639.



“Pedimos a sociedade que prestigie os eventos e ações que estão sendo realizados em prol do tratamento do Alejandro, que já está com a visão comprometida (reconhece apenas pelo vulto e voz) e com comprometimento dos rins. Não esperemos pelos outros. Ajamos como se tivéssemos agindo em benefício do nosso filho. Vamos devolver a felicidade para esta família” frisou a tia de Alejandro.


Saiba um pouco sobre Adrenoleucodistrofia


Existem diferentes formas desta doença genética; No caso de Alejandro é a doença clássica ou infantil: é a forma mais grave da ALD, sendo apresentada por aproximadamente 35% dos portadores da doença. Manifesta-se entre os 4 a 10 anos de idade. O tempo de sobrevida gira ao redor dos 10 anos. A sintomatologia apresentada por esses pacientes são: problemas de percepção; disfunção adrenal; perda de memória, da visão, da audição, da fala; problemas nos movimentos de marcha; demência severa. Na avaliação de segurança referente aos protocolos exigidos para transplante de medula (uma das raras alternativas de tratamento) no Brasil que, numa escala de 0 a 30, não poderia ser superior a 10. Infelizmente, Alejandro está com nível avançado, com score "11" e, assim, no Brasil não é possível realizar o procedimento.



http://www.rondoniagora.com/noticias/crianca-de-cacoal-tem-rara-doenca-e-precisa-de-ajuda-urgente-2012-05-29.htm
*

Adolescente santa-mariense precisa de doadores de medula óssea


Voluntários de Santa Maria de Itabira estão realizando uma campanha para encontrar doadores de medula óssea compatível com o jovem Danilo Lage Lott, de 13 anos, que sofre de Síndrome Mielodisplásica (SMD). A doença causa deficiência nas células e reduz os glóbulos vermelhos e plaquetas.
Para ser doador é necessário ter idade entre 18 e 55 anos. A Prefeitura de Santa Maria de Itabira disponibilizará transporte até o Hemominas, localizado à Alameda Ezequiel Dias – 321 – bairro Santa Efigênia em Belo Horizonte, aos interessados em ajudar, para realização do cadastro voluntário.
Após se inscrever será extraída uma amostra de sangue para identificar a genética e, quando surgir um paciente compatível, ele será chamado para fazer a doação. Mais informações pelos telefones: (31) 3838-1340 ou 8339-6867, falar com Manuela.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Gustavo “está a recuperar bem”


A criança está em recuperação após ter sido submetida a um transplante de medula óssea para tratar a aplasia medular, realizado na quinta-feira, no Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa .
Carlos Martins e a mulher, Mónica, têm agora uma nova rotina. Os dias do casal são passados na Unidade de Transplantes de Medula, onde o filho está a ser tratado. O futebolista chegou ontem, ao início da tarde, ao IPO, para estar com o seu ‘herói’. "Não sei o que hei-de dizer mais. Quando houver novidades, lá mais para a frente [da recuperação do filho], comunico. Por agora, só tenho a agradecer o apoio de todos", confessou ao CM. Gustavo deverá permanecer no IPO durante quatro semanas.
Na página do Facebook ‘Vamos ajudar o Gustavo’ está desde sexta-feira o apelo para se doar sangue para ajudar outro paciente: Fernando Morgado, bombeiro de Terras de Bouro, sofre de linfoma e precisa de um transplante de medula.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Gustavo termina ciclo de ‘quimio’


Segundo o plano de tratamento definido pelos responsáveis médicos do IPO para o menino de três anos, que sofre de aplasia medular, termina hoje o ciclo de quatro sessões de quimioterapia que têm como objectivo destruir o sistema imunitário de Gustavo e preparar a entrada das novas células.
A recolha de medula óssea do dador norte-americano será realizada quarta-feira nos Estados Unidos e no dia seguinte estará em Portugal para o transplante.
O procedimento, explicou Nuno Miranda, médico hematologista que vai tratar de Gustavo, assemelha-se a uma transfusão de sangue. As novas células serão introduzidas no corpo da criança através de um tubo ligado por cateter à veia.
O anúncio da doença do filho de Carlos Martins, em Novembro de 2011, após o jogo Portugal-Bósnia, comoveu o País e deu origem a uma onda de solidariedade. Desde então, registou-se um aumento de 30 mil novos potenciais dadores de medula óssea em Portugal.

Atleta português comunica que filho conseguiu doador de medula



O meia português Carlos Martins, que atualmente defende o Granada, da primeira divisão espanhola, anunciou que já foi encontrado um doador de medula óssea compatível para seu filho Gustavo, de três anos, que sofre de aplasia medular, uma doença rara que causa uma disfunção da medula óssea.

O jogador, que pertence ao Benfica e está emprestado na equipe do futebol espanhol, comunicou a notícia em sua página no Facebook e agradeceu "a todos o que se preocuparam, compartilharam a dor e se juntaram ao movimento de ajuda a Gustavo".
A doença de seu filho foi diagnosticada em novembro de 2011, quando o astro Cristiano Ronaldo dedicou a classificação de Portugal para a Eurocopa 2012 a seu compatriota.
Após a solidariedade do atacante do Real Madrid, houve um pedido público em busca de um doador na televisão portuguesa por parte de Carlos Martins e sua esposa, o que comoveu pessoas envolvidas com o futebol em todo o mundo, principalmente em Portugal e na Espanha.

Baixo estoque de sangue em hemocentros do Brasil adia cirurgias



Na Santa Casa de São Paulo, o estoque de sangue está com 30% da capacidade. Em Belo Horizonte, o número de doadores diminuiu 17%.

É gravíssima a situação nos estoques dos bancos de sangue de todo o país. Cirurgias estão sendo adiadas.

Sala de espera: vazia. Poltronas: vazias. Estoque de sangue: quase.

“Olha o que temos em estoque de sangue, o Rh negativo: três unidades. Isso para um paciente pode não ser suficiente”, alerta Dante Langhi, coordenador do Hemocentro da Santa Casa.

Na Santa Casa de São Paulo, o estoque de sangue está com 30% da capacidade.

“Faz muito tempo que eu não vejo uma situação tão dramática como essa”, revela Dante.

A média é de 70 doadores de sangue por dia. Normalmente, são 200. Eles também andam sumidos de outros hemocentros. O frio, tradicionalmente, provoca isso.

“Estamos também na época da vacina da gripe, que também tem um período para essas pessoas poderem vir doar sangue, e estamos próximo agora da época de férias, a partir de junho, então isso nos preocupa bastante”, explica Rivânia Andrade, coordenadora do Banco de Sangue do Hospital AC Camargo.

Em Belo Horizonte, o número de doadores diminuiu 17% esta semana. Em Curitiba, 30%. No Rio de Janeiro, o movimento caiu quase pela metade.

A baixa nos estoques chega a comprometer o atendimento nos hospitais. Algumas cirurgias que já tinham sido agendadas estão até sendo remarcadas para que não falte sangue nos casos de emergência.

O hospital avisou a professora Anna Maria Trapp: a delicada operação para retirada de um tumor teria que ficar para depois.

“A frustração é muito grande, porque você sabe que necessita da cirurgia para poder continuar viva”, lamenta a professora.

Ela descobriu que talvez falte mobilização. Mas solidariedade, não. A família divulgou o problema na internet. Apareceram 50 doadores. Anna fez a operação no dia seguinte.

“Eu agradeço todos os dias a essas pessoas que vieram aqui salvar minha vida”, diz.


*

INFELIZMENTE DANIEL NÃO RESISTIU,ELE AGORA MORA COM DEUS.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Governo quer ampliar número de transplantes de órgãos e medula



O governo quer aumentar o número de transplantes de órgãos e de medula óssea no país. Para isso, duas portarias do Ministério da Saúde com normas de estímulo aos hospitais foram publicadas hoje (3) no Diário Oficial da União. 
O setor de transplantes ganha reforço com a criação de incentivos financeiros para hospitais que realizem cirurgias na rede pública de saúde. O valor disponível para o custeio dessa iniciativa pode chegar a R$ 217 milhões este ano.
De acordo com as novas regras, os hospitais que fazem quatro ou mais tipos de transplantes – se cumprirem os indicadores definidos pela portaria - poderão receber um incentivo de até 60% em relação ao gasto com os procedimentos de transplantes já pagos pelo Ministério da Saúde.
Para os hospitais que fazem três tipos de transplantes, o recurso será de 50% a mais do que o pago atualmente. As unidades que fazem dois ou apenas um tipo de transplante receberão 40% e 30% acima do valor, respectivamente.
De acordo com o Ministério da Saúde, a ideia é aumentar o incentivo de acordo com a quantidade e a complexidade dos transplantes. Além do pagamento pelo transplante, o incentivo poderá servir para manter por mais tempo um paciente na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), se for o caso.
Os hospitais que fazem transplante de rim terão um reajuste específico de 30% para estimular a realização dos procedimentos e a redução do número de pessoas que aguardam pelo órgão. O valor pago para transplantes de rim de doador falecido sobe de R$ 21,2 mil para R$ 27,6 mil. Nos casos de transplante de rim de doador vivo, o valor sobe de R$ 16,3 para R$ 21,2 mil.

EUA têm o maior banco de doadores de medula óssea do mundo


Os EUA têm o maior banco de doadores de medula 

óssea do mundo, seguido da Alemanha. Em terceiro 

aparece o Brasil, com 2,7 milhões de voluntários 

registados. Em 2000, havia apenas 12 mil inscritos.

Segundo o Ministério da Saúde brasileiro, actualmente 1.205 pessoas esperam pela identificação de um doador compatível no país. Outras 104 pessoas já tiveram um doador compatível identificado e seleccionado, mas aguardam pelo procedimento.
O coordenador do Serviço de Transplante de Medula Óssea do Hospital Amaral Carvalho, em Jaú (São Paulo), diz que uma das dificuldades é que, em algumas situações, o sistema electrónico até identifica o doador compatível, mas o voluntário não é encontrado. «É importante que essa pessoa comunique ao banco de medula caso mude de casa ou de cidade. Imagine se eu sou o pai de uma criança doente, não tenho doador na família, e o computador diz-me que existe um doador compatível, mas estenão é encontrado», observa.
Para o médico, falta maior compromisso por parte dos voluntários.