segunda-feira, 22 de outubro de 2012

BANCO DO HEMOCE RECEBE DOAÇOES

Gestantes podem optar por doar o sangue de cordão umbilical e placentário no momento do parto. O procedimento é simples




Maria Rita Mascena Barretto tem 25 dias de nascida. E se todo nascimento é renovação e esperança, a escolha da família dela em doar o sangue do cordão umbilical para o banco do Hemoce a colocou na possibilidade de ajudar pessoas que precisam de um transplante de medula óssea.


A coleta foi realizada após o parto e não interferiu na saúde da menina ou na da mãe, a bancária Kelina Barretto. Agora, a amostra está no Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Hemoce (BSCUP), o primeiro do Nordeste, onde é testada e armazenada, podendo ser usada por qualquer pessoa compatível.

Segundo o médico Fernando Barroso, chefe do departamento de Transplante de Medula Óssea do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) e coordenador do banco, o único uso comprovado atualmente das células-tronco coletadas no sangue do cordão umbilical e placentário é o transplante de medula óssea, apesar de outros estudos estarem em andamento.

De acordo com o médico, acredita-se que se os bancos públicos tivessem 100 mil cordões, 90% das pessoas que necessitam do transplante seriam beneficiadas. O banco do Hemoce começou suas atividades neste ano e conta com 20 amostras - quase a totalidade está apta ao transplante. “Esse resultado aponta que o material coletado é de qualidade, com o número de células suficiente”, explicou Fernando Barroso.

Atualmente, a rede de bancos públicos de sangue de cordão umbilical, Brasilcord, possui onze unidades e, aproximadamente, 10 mil amostras. A ampliação da rede está prevista, mas a mobilização da população para essa escolha prática no momento do nascimento é ainda mais importante para aumentar as chances de compatibilidade de quem precisa de um transplante.


Procedimento simples

Segundo Natércia Bruno, enfermeira responsável pelo posto de coleta no Hospital César Cals, apesar dos postos de coleta serem em unidades públicas, muitas mulheres assistidas na rede particular estão começando a buscar informações sobre a doação.

A coleta pode ser feita em hospitais particulares, sendo necessário contato prévio com o Hemoce. O procedimento, explica Natércia, é simples e não afeta a mãe ou o bebê. Para garantir a qualidade do material coletado, uma triagem e entrevistas são realizadas antes da doação.

E foi com informações obtidas nas entrevistas, em conversas e na Internet que a Kelina decidiu doar. Mãe e professora universitária aposentada de biologia molecular, Rita de Cássia opinou que o projeto é um passo muito importante e vislumbra um futuro em que seja tão difundido quanto a doação de sangue.

Maria Rita, a quinta neta do casal Rita e Ivan e a primeira filha de Kelina e Dracon, trouxe alegria para a família e já doou um pouco de si para fazer o bem ao próximo. Com a gentileza do nascimento, pode fazer renascer a saúde de gratos desconhecidos.


ENTENDA A NOTÍCIA

Atualmente, o sangue do cordão umbilical pode ser usado como fonte de células-tronco para o transplante de medula óssea. Pacientes com diversas doenças podem ser beneficiados com o material, que seria descartado no parto.


Serviço

Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Hemoce

Gestantes que quiserem doar devem agendar visita no telefone 3223 4868. Encontros acontecem às segundas-feiras (14h às 17h).


Saiba mais

Bancos de armazenamento


O sangue do cordão umbilical é uma das fontes de células-tronco para o transplante de medula óssea.


Pacientes com leucemias, linfomas, anemias graves, anemias congênitas, hemoglobinopatias, imunodeficiências congênitas, mieloma múltiplo, além de outras doenças do sistema sanguíneo e imune (cerca de 70 indicações).


O tempo de armazenamento das amostras é indefinido, podendo ficar por muitas décadas.

Existem bancos privados que armazenam o material.

No entanto, têm legislação específica e cobram taxas de manutenção para as famílias que desejem armazenar o material.

Por enquanto, não existem comprovações do uso do material coletado após o parto em procedimentos que não o transplante, o que torna a escolha uma aposta nas futuras descobertas.


FONTEhttp://www.opovo.com.br/app/opovo/fortaleza/2012/10/20/noticiasjornalfortaleza,2940010/banco-do-hemoce-recebe-doacoes.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário