sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Dadores de medula salvaram 108 doentes

Número de dadores portugueses ultrapassa os 310 mil. Gustavo, filho de Carlos Martins, atraiu mais de 40 mil pessoas. Toda a história no CM


De Janeiro a Novembro deste ano houve mais dadores a doar medula óssea, necessária para tratar doentes oncológicos, do que durante todo o ano de 2011. Um total de 108 pessoas ajudaram a salvar a vida dos doentes, um dos quais foi Gustavo Martins, filho do jogador do Benfica Carlos Martins, que sofria de aplasia medular até há seis meses, quando foi submetido a um transplante. Neste momento, há 310 705 dadores.
Os 108 dadores compatíveis doaram as células necessárias ao transplante de medula de 26 portugueses e 82 estrangeiros. A compatibilidade sanguínea permitiu que se fizessem 55 transplantes em 2012. Em 2011 foram 68.
Apesar de, este ano, ainda não se ter alcançado os resultados de 2011, Hélder Trindade, presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), afirmou ao CM esperar ultrapassar esses números até ao final do ano.
"Depois do fenómeno Gustavo Martins, houve uma ligeira diminuição do número de dadores, mas continuamos com grande afluência", afirmou Hélder Trindade.
Após o transplante, os doentes precisam de receber muito sangue, pelo que aquele responsável lembra a importância das recolhas de sangue serem feitas de forma regular e permanente.
"Os doentes têm de receber muitas transfusões e, por isso, apelamos a que também os dadores de medula possam ser dadores de sangue", sublinhou o presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação.
GUSTAVO ATRAIU MAIS DE 40 MIL  PESSOAS
Gustavo, filho do futebolista Carlos Martins, foi submetido a um transplante de medula faz hoje seis meses. A criança, que festejou os quatro anos dia 17, criou uma onda de solidariedade no País que levou a que mais de 40 mil pessoas se inscrevessem no Centro Nacional de Dadores de Células de Medula Óssea, Estaminais ou de Sangue do Cordão (CEDACE). O dador compatível com Gustavo acabou por ser um norte-americano, cuja identidade nunca foi revelada. Todos os dadores ficam inscritos num registo internacional.
MIRIAM ESPERA TRANSPLANTE
A Miriam é uma menina de três anos que luta contra uma leucemia mieloblástica aguda. A doença foi detectada aos 22 meses. Após seis sessões de quimioterapia, esperava-se que tivesse sido ultrapassada. Porém, na sexta-feira da semana passada, quando chegou o resultado de análises, confirmou-se o pior: a doença voltou. A Miriam está neste momento internada no IPO e precisa de um transplante de medula óssea. Pais e familiares apelam à ajuda de todos para encontrar um dador compatível, e salvar a vida da sua "princesa". "A Miriam é uma menina muito corajosa, muito inteligente, tem plena consciência do que se está a passar com ela, e, apesar disso, está sempre alegre!", diz a mãe, emocionada. Florbela Sardão frisa que "há muita ignorância quanto ao processo para ser dador de medula", explicando a sua simplicidade: "As células são recolhidas através do sangue."

fonte>>http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/dadores-de-medula-salvaram-108-doentes

Nenhum comentário:

Postar um comentário