sábado, 12 de janeiro de 2013

DEPOIMENTOS DE DOADORES DE MEDULA ÓSSEA

Doador: Elida Roberti 

"Meu nome é Elida Roberti, tenho 27 anos sou de Rondonópolis (Mato-Grosso). Em setembro de 2006, minha irmã Elissandra aos 30 anos descobriu através de um hemograma que estava com Leucemia Mielóide Aguda. Custei a acreditar que isso estava ocorrendo na minha família porque minha irmã era uma pessoa absolutamente saudável.


Procurei uma hematologista e ela me disse que realmente só um TMO (Transplante de Medula Óssea) poderia "salvar" a sua vida .A Draº foi bem clara dizendo que a compatibilidade de irmãos é bem difícil de ocorrer e se isso não fosse possível minha irmã teria que entrar na lista de espera de doadores de medula óssea .

Eu e minha outra irmã Elisangela resolvemos fazer essa coleta de sangue pra exame de compatibilidade. Pedi muito a Deus para que fosse feito a vontade dele, para que eu ou a minha outra irmã (Elisangela) fosse compatível. Ele nos respondeu grandiosamente concedendo-nos a graça de sermos compatíveis!!Agradeci muito a Deus por me conceder essa benção de ter a oportunidade de ser útil em vida e poder doar não somente a medula, mas sim realizar um ato de amor para com o próximo...para Deus todos nós somos irmãos.


Chegou o grande dia em que eu ia doar ALGO que iria trazer de volta aquele brilho nos olhos, um belo sorriso e muita expectativa de viver por muitos e muitos anos. Pronto! Acabou! é apenas isso! não dói, não te custa nada, muito pelo contrário esse ato de doar custa sim, é a vida de uma pessoa que depende apenas de você e da sua boa vontade. Essa experiência vivida foi de grande valia como ser humano e tenha a certeza de que você pode salvar vidas. Foi para isso que Deus com um ato de amor e de compaixão deu o seu único filho para nos dar vida e porque não retribuir ao seu próximo esse ato de amor para quem precisa!




Doador: Marcio e Juliano 


Muitos pacientes aguardam seu gesto. Participe e colabore também para Salvar Vidas!!
Marcio e Juliano, foram cadastrados em 2005 na primeira campanha em Itapetininga e doaram a medula óssea !

"Sempre tive vontade de ser doador de medula, doar medula óssea não dói , muito pelo contrário, soube da compatibilidade, fiz alguns exames e fui para coleta, que é rápida, e no outro dia já estava bem e rapidamente pude voltar as minhas atividades normais."- destaca Marcio, que doou através da coleta ossos da bacia.

Juliano se cadastrou em Itapetininga na campanha realizada pela AMEO e doou a medula óssea em 2006 . "Doe Esperança. SALVE UMA VIDA!Cadastre-se como doador voluntário de medula óssea.




Doador: Priscila 

Meu nome é Priscila e escrevo para contar que ajudei salvar uma vida. Foi em 2005, quando doei minha medula óssea a uma criança que sofria de leucemia.

Tudo começou em fevereiro de 2004 quando uma campanha realizada pela AMEO em Tatuí, a fim de cadastrar possíveis doadores de medula óssea. Comoveu-me saber que a chance de encontrar um doador compatível era de 1 em 100 mil. Fiz a coleta de sangue e meus dados ingressaram no REDOME.

Após 1 ano fui contatada pelo REDOME, pois havia uma criança precisando de uma medula compatível coma minha. Fiz os exames necessários para confirmar a compatibilidade e também exames para comprovar meu estado de saúde. Foi preciso ir algumas vezes ao HC em SP para realizar exames. Todas as despesas foram pagas pelo REDOME. A doação foi marcada para outubro daquele ano. Os médicos e enfermeiros do TMO (Transplante de medula óssea) me deram todas as orientações necessárias e também me esclareceram como seria feito o transplante.

O procedimento foi bem simples: após tomar anestesia raqui, cerca de 10% da medula foi aspirada com agulhas especiais que perfuram o osso da bacia. Pouco tempo depois o paciente já estaria recebendo o transplante.

No dia seguinte deixei o hospital. Senti um pouco de dor no local perfurado. Também estava com um pouco de anemia. Mas voltei a trabalhar no dia seguinte e, tomando remédio fornecido pelo Hospital, me recuperei rapidamente da anemia. Ficaram apenas dois pontinhos circulares acima das nádegas como "cicatrizes".

Foi assim a experiência mais gratificante da minha vida: o dia em que ajudei a salvar a vida de alguém. Um privilégio indescritível de que mais gente poderia participar.

Quero aproveitar esse espaço para convidar a população entre 18 e 55 anos para se cadastrar junto ao REDOME e tornar-se um doador!


fonte>>http://amoraovivo.blogspot.com.br/2008/12/depoimentos-de-doadores-de-medula-ssea.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário