quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Estímulo à doação é tema de Projeto de Lei

Criação e implantação do Programa de Doação de Medula Óssea, pretende desenvolver junto ao funcionalismo público municipal a consciência sobre a importância e necessidade de ampliar o número de doadores de Medula Óssea

Partindo do pressuposto que o Poder Público não pode se eximir de uma questão importante, quanto a doação de medula óssea, que pode vir a salvar inúmeras vidas, o vereador Eduardo Peliciolli (PSB) protocolou um projeto de lei para realizar o Programa de Cadastro de Doadores de Medula Óssea em parceria com o Hemocentro Regional de Passo Fundo, a criação da Semana de Mobilização Municipal para Cadastramento de Doadores de Medula Óssea na data indicada de 14 a 21 de dezembro e ainda desenvolver estímulos para os servidores públicos municipais se cadastrarem no Registro Brasileiro de Doadores de Medula Óssea - REDOME. “Não podemos mais perder vidas como a de Pietro Albuquerque por que há falta de doadores cadastrados. Nesse exato momento, outros passo-fundenses aguardam por doadores compatíveis”, esclarece Peliciolli. 

O vereador alerta que quando não há um doador aparentado, um irmão ou outro parente próximo, geralmente um dos pais, a solução para o transplante de medula é procurar um doador compatível entre os grupos étnicos semelhantes, mas não aparentados. Para reunir as informações (nome, endereço, resultados de exames, características genéticas) de pessoas que se dispõem a doar medula para o transplante, foi criado o Registro Brasileiro de Doadores de Medula Óssea (REDOME), instalado no Instituto Nacional de Câncer (INCA). “Assim, o Programa de Doação de Medula Óssea atuará em parceria com o Hemopasso, em forma de convênio entre a entidade e o poder público. Além disso o programa deverá desenvolver, com a colaboração do Hemocentro as atividades de efetuar campanha de divulgação e esclarecimento junto a todos os servidores municipais da Administração Direta e Indireta com a finalidade de estimular a doação de Medula Óssea, elaborar o cadastramento dos servidores municipais que, voluntariamente, se dispõem a doar a Medula Óssea, expedir aos servidores municipais doadores de Medula Óssea comprovante de inclusão no REDOME, e elaborar uma agenda para coletar o sangue dos doadores, somente com autorização do órgão controlador”, salienta o vereador.

Peliciolli argumenta que os servidores públicos municipais que se cadastrarem como Doadores de Medula Óssea de forma voluntária, terão como folga do serviço dois dias, sem prejuízo da remuneração ou ao banco de horas, podendo gozar destebenefício junto ao período de férias. “Apesar de crescente, o número de doadores ainda é insuficiente para atender à demanda de pacientes, principalmente, pelo fato da probabilidade de se achar um doador compatível dentro do Brasil ser de um em cem mil. Todo mundo pode ajudar. Para isso é preciso ter entre 18 e 55 anos de idade e gozar de boa saúde. Para se cadastrar, o candidato a doador deverá procurar o hemocentro mais próximo de sua casa”, pontua o vereador.

O transplante de medula óssea é um procedimento seguro, realizado em ambiente cirúrgico, feito sob anestesia geral, e requer internação de, no mínimo, 24 horas.

Fonte: Redação Passo Fundo / DM

Nenhum comentário:

Postar um comentário