terça-feira, 16 de abril de 2013

Hemopa convoca doadores de sangue do tipo Negativo




A Fundação Hemopa convoca, com urgência, doadores de sangue dos tipos negativos. O estoque do hemocentro está em situação crítica  em virtude da grande demanda de pacientes internados na rede hospitalar que precisam desse tipo de transfusão. Os doadores devem se dirigir ao hemocentro coordenador em Belém.
Segundo a gerente de Captação de Doadores do Hemopa, assistente social Juciara Farias, a situação requer a mobilização da população, que é a parte diretamente beneficiada. “Estamos contando com a ajuda de todos para restaurar o estoque e atender a demanda transfusional . Muitas pessoas dependem desse gesto simples e solidário” comentou, afirmando que a coleta não dói, não transmite doença e nem faz mal à saúde.
“Se todas as pessoas potencialmente doadoras agendassem pelo menos uma visita ao hemocentro durante o ano não haveria insuficiência de sangue na hemorrede brasileira”, revelou, comentando que essa dificuldade não é exclusiva do Pará. Isso acontece em todos os hemocentros, sazonalmente. Juciara é enfática ao afirmar que a insuficiência do estoque nos hemocentros brasileiros é muito mais uma questão de comportamento que de gestão. “A população tem que criar o hábito da doação voluntária e freqüente. Não basta doar uma única vez. Todos os dias milhares de pacientes no Brasil padecem com a falta de sangue. Esse ato solidário tem que se tornar rotineira, um exercício de cidadania”, ressaltou Juciara Farias, ressaltando a importância da fidelização de doadores.
Atualmente, o Hemopa atende 218 hospitais espalhados pelo Pará. Somente em Belém são mais de 80 estabelecimentos.
Quem pode doar sangue: Candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos; peso acima de 50 kg. É necessário apresentar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três. O doador deve estar bem alimentado.
Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudáveis, com idades entre 18 e 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Padre Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 0800 280 8118, de 2ª a 6ª-feira, das 8h às 18h; e aos sábados, até as 17h. Maiores informações pelo fone: 0800 280 8118.

Texto:
Vera Rojas - Hemopa
Fone: (91) 3241-1811 / 3242-9100 / (91) 8895-3089
Email: Imprensa.hemopa@yahoo.com.br

Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará
Endereço: Tv. Padre Eutiquio, 2109 Cep: 66033-000- Batista Campos- Belém-PA
Fone: (91) 3242-9100 / 3242-6905 / 0800 280 8118
Site: www.hemopa.pa.gov.br Email: gabinete.hemopa@hotmail.com / ro.bcosta@yahoo.com.br

Laboratório Municipal promove campanha de doação de sangue

doe sangue

O Laboratório Municipal de Anchieta, em parceria com o Hemocentro do Espírito Santo (HEMOES) e Secretaria Municipal de Saúde, realizará no dia 03 de Maio, das 9:00 às 17:00, uma coleta de doação de sangue no Município de Anchieta.
As ações de incentivo de doação de sangue devem-se aos estoques cada vez mais baixos nos hemocentros de todo país; o que pode comprometer as vidas que necessitam desses insumos. Outro objetivo da iniciativa é abastecer a rede de hospitais de todo Estado.
Nesse mesmo dia, será realizado cadastramento para doação de medula óssea para os pacientes que optarem pelo cadastro no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME). Esse cadastro é importante, pois o paciente tem 25% de chance de encontrar um doador compatível entre os irmãos. Porém, como a maior parte dos pacientes não consegue um doador na família, a alternativa é procurar um doador compatível no REDOME. O Cadastramento será feito em frente ao Centro de Especialidades Unificado (CEU), que está localizado embaixo da Secretaria de Saúde, ao lado da Prefeitura de Anchieta.

PARA DOAR SANGUE É NECESSÁRIO
- Estar com boa saúde;
- Ter entre 16 e 67 anos de idade (com 16/17 anos é necessária autorização do responsável legal. Acima de 61 anos, a pessoa deve ter feito sua primeira doação até 60 anos);
- Pesar mais de 50 Kg;
- Dormir bem na noite anterior;
- Se for doar pela manhã, alimentar-se antes. Após o almoço, dê um intervalo de três horas.
- É obrigatória a apresentação de documento de identificação com foto, dentro do prazo de validade, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, de Trabalho, de Habilitação, de Conselho de Classe, cartão Nacional do SUS ou Certificado de Reservista).


Jovem carnaubense precisa de doação de sangue com urgência



 A jovem Regina Elita Dantas Bisneta, está internada no Hospital Infantil Varela Santiago em Natal,e está precisando urgentemente de sangue de qualquer tipo. 
Os doadores devem-se dirigir ao Hemonorte, Com as seguintes informações:
Nome:Regina Elita Dantas Bisneta, Hospital Varela Santiago, leito 95. Desde já a família agradece a todos que colaborarem. 


Abaixo estão listados os requisitos básicos e alguns dos principais impedimentos temporários e definitivos para doação de sangue. No entanto, esta lista não esgota os motivos de impedimentos para doação, de forma que outras informações prestadas por você durante a triagem clínica serão consideradas para definir se está apto para doar sangue nesse momento.

 Requisitos básicos

» Estar em boas condições de saúde.
» Ter entre 16 e 67 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, clique para ver documentos necessários e formulário de autorização).
» Pesar no mínimo 50kg.
» Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas).
» Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).
» Apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

 Impedimentos temporários

» Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas.
» Gravidez
» 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.
» Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).
» Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.
» Tatuagem nos últimos 12 meses.
» Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses.

Honestidade também salva vidas. Ao doar sangue, seja sincero na entrevista.


fonte>>http://guardanoturnocdd.blogspot.com.br/2013/04/jovem-carnaubense-precisa-de-doacao-de.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+GuardaNoturno+(Guarda+Noturno)

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Hemosul inicia campanha para doação de sangue


O Hemosul inicia no próximo sábado (6) a campanha de doação de sangue para o mês de abril em Campo Grande e que também passará pelos municípios de Ribas do Rio Pardo e Aquidauana. No sábado, acontece a campanha de doação de sangue e medula com a equipe do Hemosul. Será das 7h30min às 16h no Posto de Saúde Central de Ribas do Rio Pardo.
Já em Campo Grande, nos dias 8, 9 e 10 de abril, a campanha de doação será realizada das 7h às 17h30min, no Hemosul, pelo Parque de Manutenção do Exército. Nos dias 15 a 17, a campanha continua através da Facsul, das 7h às 17h30min e no dia 20 (sábado), pela Igreja Batista Conab.
No dia 27, a campanha de doação de sangue seguirá para o município de Dourados e será realizada no Centro Hemoterápico da cidade, das 7h30min às 16h.
Para doar sangue é preciso ter entre 16 e 67 anos, pesar no mínimo 55 kg, estar com boa saúde e bem alimentado, não ter ingerido álcool nas 12 últimas horas ou 48 horas se beber em excesso. Também é necessário trazer um documento oficial com foto. 

Fundação Pró-Sangue faz campanha de doação Sangue Corinthiano


Expectativa é que o número de doadores aumente, já que as doações serão estendidas durante a semana inteira
Entre os dias 6 e 13 de abril, a Fundação Pró-Sangue do Hospital das Clínicas sediará a 11ª edição da campanha Sangue Corinthiano. O projeto idealizado e promovido pela torcida corinthiana usa a força e a união da Fiel para conscientizar a população sobre a importância de doar sangue.

Siga o Governo do Estado de São Paulo no Twitter e no Facebook

Nesta edição, a expectativa é que o número de doadores aumente, já que, ao contrário das campanhas anteriores - que aconteciam apenas em um dia - as doações serão estendidas durante a semana inteira. Além do posto Clínicas de coleta, a campanha conta com outros postos espalhados por todo o Brasil.

SERVIÇO 
Campanha Sangue Corinthiano
De 6 a 13/04
Unidade Clínicas da Fundação Pró-Sangue (Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 155 - 1º andar - São Paulo - SP) e outros postos espalhados pelo Brasil

Do Portal do Governo do Estado

Lançada Campanha Nacional de Doação de Sangue e Medula Óssea em Porto Velho

Com incentivo de ampliar o número de doadores de sangue e o cadastro de doadores voluntários de medula óssea no Brasil, jovens jornalistas e publicitários, em parceria com o Hemocentro de Rondônia, Instituto Nacional de Apoio A Vida e Amigos do Transplante de Medula Óssea (ATMO), lançou na noite de terça-feira (02), no espaço do Mercado Cultural em Porto Velho, a Campanha Nacional de Doação de Sangue e Medula Óssea, cujo tema escolhido foi “Casa Comigo? Sou doadora de sangue e medula óssea”. 












A iniciativa parte de Rondônia, mas contará com a participação de todos os hemocentros do país. De uma forma criativa e irreverente, a iniciativa já repercute por todo Brasil e já desperta o interesse de outros países em divulgar a campanha. O projeto também conta com o apoio de diversos órgãos públicos e empresas privadas que abraçaram o projeto.Idealizadora do projeto que lançou a campanha, a jornalista Lú Braga chegou ao evento vestida de noiva para apresentar o vídeo publicitário da peça. Segunda ela, tudo começou de forma inusitada em uma das oportunidades em que doou sangue.
“Em 2012, em uma das vezes que fui doar sangue fiz uma brincadeira onde eu escrevi em um dos meus perfis das redes sociais que eu, embora não soubesse lavar, passar e cozinhar eu sabia fazer uma coisa muito bem que era ser doadora de sangue e de medula óssea e fiz a pergunta: casa comigo? Em pouco tempo o Ministério da Saúde postou esse meu comentário na sua página na internet e em seguida o Brasil todo já comentava sobre essa brincadeira que, este ano acabou se transformando nesse projeto tão bacana. A idéia agora é levar a campanha para todos os hemocentros do Brasil que irão receber nosso material de campanha e um vídeo de 30 segundos abordando o tema e quem sabe, em breve alcançar outros países também”, espera a jornalista que aproveita pra passar o número do telefone para quem aceitar o 'pedido de casamento'.
"Para quem aceitar o meu pedido e entrar na brincadeira da campanha é só ligar para o número (69) 99264003 e ouvir a mensagem que nós preparamos", informa Lú Braga.
O projeto musical Jam Bera, atento a responsabilidade social abraçou a causa durante o lançamento da Campanha Nacional de Doação de Sangue e Medula Óssea e ofereceu à todos os presentes o som de Marina Reis e da banda Kali e o Kalhordas que mostraram o talento musical da Amazônia.
Confira o vídeo da peça publicitária da Campanha Nacional de Doação de Sangue “Casa Comigo? Sou doadora de sangue e de medula óssea”.

Serviço de Transplante de Medula Óssea do HAC se destaca em número de procedimentos realizados


Pelo terceiro ano consecutivo, o Serviço de Transplante de Medula Óssea (TMO) do Hospital Amaral Carvalho (HAC) de Jahu, interior de São Paulo, destacou-se entre as equipes que realizam o procedimento no Brasil, segundo relatório da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO).
O balanço anual aponta que em 2012, dos 1.753 transplantes de medula óssea realizados por equipes brasileiras, 206 foram feitos pelo serviço do HAC. O saldo mais expressivo é o de transplantes alogênicos: 136 foram realizados na instituição, o que representa 21,6% do total desse tipo de procedimento.
O Serviço
Situado no interior paulista o Serviço de TMO do Hospital Amaral Carvalho, diferente da maioria dos centros de transplante do Brasil, não é vinculado a nenhuma instituição universitária. A Fundação Hospital Amaral Carvalho é a gestora do programa.
A equipe é composta por 65 colaboradores que desempenham funções de enfermagem e medicina, nas unidades de ambulatório e enfermaria. Conforme relata o superintendente da instituição, Antonio Luis Cesarino de Moraes Navarro, hoje o serviço é referência para o Norte e Nordeste. 
Benefícios
Além de transplantar pacientes de todo o país, e por consequência, colaborar com o cenário nacional no que se refere a transplantes de medula óssea, a Fundação estruturou laboratórios, como os de virologia e biologia molecular, por exemplo, que foram criados para dar suporte na realização dos transplantes e hoje prestam serviços a várias unidades do Hospital Amaral Carvalho.
Nestes laboratórios, que geram resultados imediatos de exames para cuidados dos pacientes, foram realizadas pesquisas, teses de mestrado e doutorado. A seriedade do trabalho realizado pelo Serviço de TMO é comprovada em pesquisas feitas em parceria com hospitais como Albert Einstein, Sírio Libanês, Escola Paulista de Medicina, entre outros. 
Agradecimento
De acordo com Navarro, é importante salientar a relevância dos doadores de sangue e plaquetas para o sucesso nos procedimentos. “Para suprir a necessidade de sangue e hemoderivados, a equipe do Hemonúcleo Regional de Jahu, que atua em parceria com o Serviço de TMO do Hospital Amaral Carvalho, promove coletas diariamente em sua sede, além de campanhas externas em empresas, universidades e centros de saúde de Jahu e cidades da região. O apoio dos doadores é essencial”, completa.   

Campanha de doação de medula óssea mobiliza mais de 200 pessoas em Nova União


Trabalhando sempre na busca de parcerias que apóiem a proposta de sensibilizar um número cada vez maior de pessoas para questões que envolvam a doação de sangue e de medula óssea, na última semana, a ONG Amigos do Transplante de Medula Óssea (ATMO) participou do projeto “Vida por Vidas”, da Igreja Adventista em parceria com o Hemocentro de Ji-Paraná,  realizado no município de Nova União.


De acordo com o coordenador de núcleo da ATMO, Lindberg Oliveira, em apenas um dia, o projeto “Vida por Vidas” que visa à participação da população na doação de sangue, chamou a atenção de mais de 200 pessoas que compareceram à Câmara de Vereadores de Nova União, fato que segundo ele, torna-se uma excelente oportunidade para a ATMO abordar temas de conscientização e esclarecimento também sobre a doação de medula óssea.


“A Câmara Municipal foi devidamente adaptada com a instalação de leitos para receber os doadores da melhor forma possível e o hemocentro de Ji-paraná executou o trabalho de coleta. Muitas pessoas compareceram e nós, de forma simultânea ao projeto da Igreja Adventista, pudemos divulgar a proposta da ATMO que é justamente esse envolvimento da sociedade civil, essa sensibilização no que se refere a doação de sangue e de medula óssea”, explicou o coordenador.


Lindberg Oliveira também ministrou palestras em vários órgãos públicos do município onde a ATMO pode tirar as dúvidas de quem ainda pouco sabe sobre a doação de medula óssea. Para a professora, Maria Irene Deuboni, a importância de tornar de conhecimento geral assuntos ligados a doação de medula óssea é uma experiência que ela sabe contar com propriedade.


“Eu tive câncer e sei que a falta de informação das pessoas não nos ajuda em nada enquanto doentes. Acho que trabalhos como estes desenvolvidos pela ATMO deveriam ser bem mais freqüentes, pois uma pessoa bem informada sabe do poder que tem quando toma uma atitude como a de se tornar um doador de medula óssea. Eu me curei e foi graças a alguém que tinha idéia de como um gesto como este poderia salvar a minha vida”, relatou a professora.

Já para a professora Anaí Dávila, Nova União só tem a agradecer a iniciativa da ATMO. “Considero de extrema importância o engajamento desta ONG em levar essa informação, essa sensibilização às pessoas que até então, mal tinham ouvido falar em doação de medula óssea. Estamos falando na possibilidade de salvar vidas e conscientizar cada cidadão de que ele pode ajudar alguém que esteja precisando é um trabalho muito bonito. A ATMO está de parabéns”, agradeceu.


Para o coordenador, a participação da ATMO no projeto “Vida por Vidas” foi mais um passo na busca da consciência sobre a doação de medula.


“Além de ter essa oportunidade de estar diretamente com a população e passar todas as informações necessárias é muito gratificante ver o interesse da população em questionar sobre esse tema ainda tão pouco divulgado. Nós distribuímos material de divulgação acredito que mais uma vez fizemos um bom trabalho de sensibilização”, concluiu Oliveira.


Para ser um doador de medula

Para doar é preciso ter entre 18 e 54 anos de idade, não ter doença infecciosa ou incapacitante. O cadastramento e a doação, quando existe a compatibilidade, independem do peso ou do tipo sanguíneo. Diabéticos, pessoas com tatuagem, quem já teve hepatite, mulheres grávidas e hipertensos podem se cadastrar. Nada impede a doação quando existe a compatibilidade. As pessoas que quiserem se cadastrar para doar, podem se dirigir ao Fhemeron de Porto Velho e nas demais unidades do interior. O cadastro é feito com uma pequena retirada de sangue (5ml) por sua veia e ao preencher uma ficha com informações pessoais (identidade, endereço, telefone).


Triagem da Medula

Após o cadastramento e a coleta do material, o Nativida/HLA  realiza os exames de diagnóstico de compatibilidade de doares e receptores e envia os cadastros para o REDOME. O laboratório também está habilitado para acompanhar o tratamento dos doentes identificados na triagem.  Hoje o laboratório faz os exames de Tipagem de Rim II em doador vivo ou com morte encefálica, assim como a compatibilidade de doadores aparentados de medula óssea.