quinta-feira, 30 de maio de 2013

Autoridades Sanitárias apelam jovens à doação de sangue

Cachiungo - As autoridades sanitárias do município do Cachiungo, a cerca de 62 quilómetros a leste da cidade do Huambo, lançaram neste sábado uma campanha de mobilização de jovens no sentido de aderirem à doação de sangue na hemoterapia do hospital municipal, de forma a salvar vidas, principalmente de crianças.
 
Em declarações hoje, domingo, à Angop, o director municipal da saúde em Cachiungo, António Malaquias, disse que a campanha visa criar um stock de sangue na hemoterapia do hospital, para facilitar a intervenção em casos de emergências.
 
O director municipal da saúde em Cachiungo, António Malaquias, assegurou que a secção de hemoterapia do hospital local regista falta de sangue para as transfusões, por falta de dadores permanentes, enquanto os voluntários nem sempre aparecem.


Jhony Lucas, que luta contra leucemia, precisa de doações de sangue

Família faz apelo nas redes sociais. (Foto: Facebook)

O jovem Jhony Lucas Figueiredo, de 17 anos, que luta contra leucemia está internado na CTI (Centro de Terapia Intensiva) de um hospital particular de Campo Grande e necessita com urgência de doações de sangue.
A mãe dele, Glauce Figueredo, explica que o filho precisou retornar ao hospital no último dia 9, depois de um ciclo de quimioterapias. Segundo ela, o estado de saúde dele é grave e o apelo é para que as pessoas doem sangue, de qualquer tipo sanguíneo. Para pedir ajuda, Glauce divulgou nas redes sociais uma foto do filho.
Os interessados em ajudar podem procurar o Hemosul, que fica na Avenida Fernando Corrêa da Costa, 1.304. Basta informar na portaria que a doação é para o paciente Jhony Lucas de Figueiredo, internado no Hospital da Unimed.
No começo deste mês, o Campo Grande News mostrou que exames trouxeram novamente a esperança para Jhony, que não precisara mais tomar os medicamentos de R$ 400 mil. Isso porque os médicos disseram que a medula do adolescente está limpa e não há mais células cancerígenas.
No entanto, Jhony ainda precisa de um transplante de medula. Por isso, é importante que além de fazer a doação, o voluntário aproveite para se cadastrar como um doador de medula. O cadastro também pode ser feito no Hemosul.

Jovem de 16 anos precisa de doador de sangue com urgência

O jovem Everton Kruger, 16 anos, de Rio Bonito do Iguaçu/PR, e que está internado em Cascavel/PR, precisa, com urgência, de qualquer tipo de sangue para reposição.
Ele é portador de uma doença rara e grave e está aguardando um doador de medula óssea compatível. 


Os doadores voluntários de sangue ou para exame de medula devem dar o nome o mais rápido possível no Posto de Saúde de Rio Bonito do Iguaçu pelo telefone (42) 3653-1174. 


A doação de sangue é só no Banco de Sangue de Cascavel, onde é necessário especificar que será para o Everton, já o exame de compatibilidade, é universal, no HEMOPAR em Cascavel ou HEMOCENTRO de Guarapuava. 


Haverá ônibus nesta quarta-feira 29/05, saindo às 7h do Posto de Saúde de Rio Bonito para Cascavel, com paradas no Campo do Bugre e em frente a Rádio Educadora em Laranjeiras. 


Mais informações na portaria da Rádio Educadora ou pelo telefone (42) 3635-1396.
Lembre-se: "Doar sangue é salvar vidas e a solidariedade corre em suas veias".


fonte>>http://intervalodanoticias.blogspot.com.br/2013/05/jovem-de-16-anos-precisa-de-doador-de.html

Vacinação pode adiar doação de sangue

Muitas pessoas não sabem, mas toda vez que alguém toma uma vacina, fica impedido de doar sangue. O período de restrição varia, conforme o tipo de vacina. Embora a campanha de vacinação contra a gripe seja importantíssima, por causa dela muita gente ficou impedido de doar sangue.

O resultado é a redução nos estoques dos hemonúcleos. Mas, dá pra fazer as duas coisas: ser solidário e cuidar da sua saúde. De acordo com o hemonúcleo deSorocaba (SP), neste mês houve queda de 30% nos candidatos à doação de sangue.

A explicação tem a ver com a campanha de vacinação contra a gripe. Quem toma a dose fica impedido de doar sangue por 30 dias. Segundo Frederico Brandão, diretor do hemonúcleo, a vacina muda toda a sorologia da pessoa e interfere nos exames para a doação.

A preocupação aumenta com a chegada do feriado de Corpus Christ, quando muitas pessoas viajam, o número de acidentes aumenta e a necessidade de sangue também. Os dias de frio também afastam os doadores. Atualmente o estoque está normal, mas para prevenir uma baixa o banco de sangue reforça o apelo.

É possível fazer as duas ações: prevenir a gripe e ajudar ao próximo doando sangue. A alternativa é primeiro doar sangue e depois toma a vacina contra a gripe.

Pode doar sangue quem tiver entre 18 e 67 anos, pesar mais de 50 kg, estar bem alimentado, não ter ingerido gordura, bebida alcoólica, fumado cigarro e ter dormido pelo menos 6 horas no dia da doação.

Em Jundiaí (SP), a Colsan também registrou queda na doação de sangue, em torno de 30%. Mas, a instituição alega que não é por causa da vacinação da gripe e sim pela mudança no tempo, afinal, esfriou bastante nos últimos dias.
Quem quiser doar, basta ir à Colsan, que fica na rua XV de Novembro, número 1848, no Centro. O atendimento lá é de segunda a sábado das 7h30 às 12h30.
Período de restrição de doação varia conforme o tipo de vacina (Foto: Reprodução/TV Tem)Período de restrição de doação varia conforme o tipo de vacina (Foto: Reprodução/TV Tem)
fonte>>http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/noticia/2013/05/vacinacao-pode-adiar-doacao-de-sangue.html

Com baixo estoque de sangue, HC faz campanha de doação no Hemope

Está sendo realizada uma campanha de doação sanguínea em prol do HC. Foto: Teresa Maia/DP/D.A.Press/Arquivo

O estoque de sangue da Unidade de Hemoterapia do Hospital das Clínicas da UFPE está reduzido. Todos os tipos sanguíneos estão com o quantitativo abaixo do necessário. Na manhã de ontem, a unidade de saúde cntava com apenas uma bolsa de sangue do tipo O positivo, quando o ideal é  50 bolsas em média, por semana.

Por conta da situação, está sendo realizada uma campanha de doação sanguínea em prol do HC. Os interessados em ajudar devem realizar a doação no Hemope – fundação responsável pelo suprimento de produtos do sangue utilizados para os pacientes do Hospital das Clínicas, por meio de convênio firmado com a Universidade Federal de Pernambuco. No momento da doação, a pessoa deve informar que o sangue é destinado ao Hospital das Clínicas ou indicar o nome de um paciente do HC.


Quem pode doar sangue:
Mulheres e homens com idade entre 16 e 67 anos.
Menores de 18 anos (a partir de 16 anos), com consentimento do responsável legal a cada doação.
Pessoas com peso acima de 50 Kg e gozando de boa saúde.

Para doar sangue é preciso:

Apresentar documento oficial de identificação com fotografia (RG, CPTS, Carteira de Motorista, Passaporte).
Não ter tido hepatite (após os 11 anos), malária ou doença de Chagas.
Não ter risco acrescido para doenças sexualmente transmissíveis como: sífilis, aids etc.

Para proteger sua saúde e a do paciente é importante:

Não ingerir bebida alcoólica nas últimas 12 horas antes da doação.
Comparecer ao local da doação alimentado, evitando alimentos gordurosos.
Obedecer ao intervalo de doação: 90 dias (três meses) para homens e 120 dias (quatro meses) para mulheres.
Não estar grávida ou amamentando.
Não estar fazendo uso de medicação controlada ou em tratamento médico.
Não ter tatuagens recentes (feitas há menos de 12 meses).
Não ter recebido transfusão de sangue nos últimos dez anos.


fonte>>http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2013/05/29/interna_vidaurbana,441959/com-baixo-estoque-de-sangue-hc-faz-campanha-de-doacao-no-hemope.shtml

Hemobanco de Curitiba precisa de doação de sangue de qualquer tipo com urgência

O hemobanco de Curitiba precisa com urgência de sangue de qualquer tipo, mas principalmente O positivo. O doador deve ter entre 18 e 65 anos e pesar mais que 50 quilos. Além disso, é necessário levar um documento de identificação, estar bem alimentado. A doação deve ser feita com após um intervalo de no mínimo duas horas da última refeição. O Hemobanco fica na Rua Capitão Souza Franco, 290 e atende de segunda a sábado das oito da manhã às sete da noite. Por conta do feriado no dia 30 o hemobanco vai estar fechado. Em caso de dúvidas o telefone do hemobanco é 3023-5545.

fonte>>http://bandnewsfmcuritiba.com/2013/05/29/hemobanco-de-curitiba-precisa-de-doacao-de-sangue-de-qualquer-tipo-com-urgencia/

Hemocentro do Estado precisa de doadores de sangue

Número de voluntários diminui no inverno, de acordo com a direção do órgão

O Hemocentro do Estado (Hemorgs) precisa de doadores de sangue para manter os estoques que abastecem 48 hospitais ligados à instituição. Conforme o diretor substituto, Gerson Basso, as doações tendem a cair no inverno, "mas, por enquanto, está sendo possível garantir o estoque médio e satisfatório de 300 bolsas".

Os doadores devem comparecer à avenida Bento Gonçalves, 3722, bairro Partenon, em Porto Alegre. O Hemocentro fica aberto de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, exceto nesta quinta, que é feriado de Corpus Christi.  Os critérios básicos para a doação incluem ter boas condições de saúde, portar documento oficial de identidade e idade entre 16 e 68 anos incompletos. Menores de 18 anos devem apresentar autorização de pais ou responsáveis legais.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (51) 3336.6755 ou no site do Hemocentro.

Empregados da Sanesul de Coxim tornam-se doadores de medula óssea

A iniciativa surgiu após a participação dos funcionários na palestra de conscientização sobre a importância da doação
Na Sanesul de Coxim, 17 funcionários se cadastraram no banco de doadores de sangue de medula óssea - Assessoria
Na Sanesul de Coxim, 17 funcionários se cadastraram no banco de doadores de sangue de medula óssea - Assessoria
Nesta manhã, 28 de maio, 17 empregados da Sanesul de Coxim se cadastraram no banco de doadores de sangue de medula óssea. A iniciativa surgiu após a participação dos funcionários na palestra de conscientização sobre a importância da doação, realizada na última quinta-feira, 23, durante a 2ª Semana de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat). O evento foi promovido pela equipe da Segurança e Medicina do Trabalho da empresa e de representantes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).
A responsável pela palestra foi a farmacêutica bioquímica e chefe do banco de sangue de Coxim, Lasalette Aparecida Bell de Souza. Lasalette explicou sobre a necessidade da doação e o funcionamento do banco de doares, que faz parte de um cadastro mundial. “Hoje, o Brasil é o terceiro país com o maior número de doadores cadastrados, com 2 milhões e 900 mil, ficando atrás dos Estados Unidos, com 5 milhões, e da Alemanha com 3 milhões. Porém, o número de pacientes também aumenta muito a cada dia”.
Conforme a farmacêutica, o transplante é indicado para pacientes em estado de anemias gravíssimas, leucemias e para alguns pacientes portadores de doenças que afetam as células sanguíneas, e consiste na substituição da medula óssea doente pela medula óssea normal.
“A doação é feita através de uma quantidade de sangue retirada da bacia do doador, sendo que o organismo do doador se recompõe em pouquíssimos dias e o sangue doado em hipótese alguma fará falta.
É um procedimento muito simples”, explica Lasalette.
Os funcionários que fizeram seu cadastro de doadores, no mesmo momento, já passaram pelo processo das coletas de amostra de sangue, realizado pelas técnicas de enfermagem que acompanharam a coordenadora do programa. Em seguida, as coletas serão encaminhadas para o banco de sangue mundial.
Na unidade de Coxim, quatro funcionários já haviam se cadastrado como doadores, o assistente administrativo Marcelo Martins Souto, a atendente comercial Aparecida de Fátima Ribeiro Chaparro, a estagiária Leandra Alves da Silva e o funcionário da empresa Log Engenharia, Zorildo de Souza. Agora, ao todo, são 21 funcionários da localidade que abraçaram a causa.

Doadores de medula óssea agora podem fazer cadastro em Caruaru, PE

A Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco (Hemope), em Caruaru, no Agreste pernambucano, agora também é um dos centros que realiza o cadastro e o exame necessários para verificar a compatibilidade de doadores de medula óssea.
Para entrar no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) no Hemocentro de Caruaru, no entanto, é preciso participar de uma palestra que vai mostrar as importâncias de ser doador e esclarecer todas as etapas do processo. “O procedimento é feito com anestesia, na sala de cirurgia”, detalha a captadora do Hemope, Rejane Rocha. “É um procedimento para que o doador não sinta dores”.
Para o supervisor do Hemope de Caruaru, a palestra é importante para evitar que o candidato desista no caso de compatibilidade. “Na doação de sangue, é possível doar especificamente para uma pessoa. Na doação de medula óssea, a possibilidade de você poder doar para uma pessoa específica é uma em um milhão”, explica o supervisor do Hemope de Caruaru, Orlando Simões. “O doador tem que se conscientizar, saber que ele está fazendo um cadastro para o Brasil todo”, diz.
Para doar medula é preciso ter entre 18 e 55 anos, bom estado de saúde, não ter doenças infecciosas ou incapacitantes. Os pacientes que precisam de medula óssea são os que sofrem com doenças como leucemia, linfoma e aplasia medular.



quarta-feira, 29 de maio de 2013

Hemominas faz campanha para doação de medula óssea

A Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia de Minas Gerais (Hemominas) realiza campanha para doação de medula óssea no estado. O transplante do tecido é utilizado para tratamento e cura da leucemia. Segundo o Hemominas, há grande dificuldade em encontrar doador compatível, por isso, a necessidade de muitos doadores cadastrados. A fundação revela a necessidade de 30 mil novos inscritos em Minas Gerais, para atender a demanda existente.
Para fazer inscrição, a pessoa deve ter entre 18 e 54 anos, boa saúde e não apresentar doenças como as infecciosas ou hematológicas.
Apenas 10% da medula dos doadores é retirada para transplante, e dentro de poucas semanas, o tecido é recomposto pelo organismo. Quem recebe, passa por tratamento de quimioterapia, que destrói sua própria medula. A partir desse procedimento, o paciente recebe a medula saudável por meio de transfusão. Em duas semanas, a medula óssea transplantada já estará produzindo células novas.
Na capital, a pessoa que desejar fazer cadastro para doar medula óssea pode ir à Rua Alameda Ezequiel Dias, 321, no bairro Centro, Região Centro Sul e também na Avenida Dr. Cristiano Resende, 2,505, na Região do Barreiro.
Mais informações sobre outros postos de inscrição no estado estão no site do Hemominas.
Fonte: G1

Comissão aprova selo para empresas que incentivem a doação de medula

Dep. Pastor Eurico (PSB-PE)

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou, na quarta-feira (22), o Projeto de Lei 4539/08, do deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), que cria o selo "Empresa Solidária com a Vida", destinado a empresas que desenvolvam programa permanente de esclarecimento e incentivo a seus funcionários para a doação de sangue e de medula óssea.


A empresa que aderir ao programa poderá utilizar o selo em suas peças publicitárias e ser citada nas publicações promocionais oficiais. O projeto propõe também a criação de um Cadastro Nacional de Empresas Solidárias com a Vida. A partir desse cadastro, seriam selecionadas cinco empresas, anualmente, para receberem o título “Empresa Campeã de Solidariedade”, como forma de premiação.


Conscientização
O relator, deputado Pastor Eurico (PSB-PE), alterou um ponto do texto, determinando que a empresa dê condições ao trabalhador para que ele possa ir ao banco de sangue ou cadastrar-se como doador de medula. A redação inicial previa que a empresa concedesse benefícios ao trabalhador, palavra alterada pelo relator.


Eurico defende que o projeto vai envolver outros setores sociais na conscientização para a doação de sangue e de medula, medida benéfica para quem espera uma doação. “A iniciativa também é meritória ao dar valor às ações destinadas a informar e orientar os trabalhadores sobre a doação de sangue e o cadastro de doadores”, disse.


Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

TMO EM ANEMIA FALCIFORME

Jornal Folha de S. Paulo repercute defesa de especialistas quanto a incorporação do TMO como opção terapêutica à doença falciforme. Diretor da SBTMO e do CEMO (Inca), Luis Fernando Bouzas, explica que revisão do regulamento técnico do TMO ocorrerá ainda neste ano.
Na matéria “Médicos pedem aval para técnica que pode curar anemia falciforme”, publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, de 18 de maio, especialistas defendem incorporação do TMO como opção terapêutica à doença falciforme.
Procurado pela reportagem da Folha, o diretor do Centro de Transplante de Medula Óssea do Inca (Instituto Nacional de Câncer), Luis Fernando Bouzas, relatou que está prevista revisão do regulamento técnico do TMO ainda para este ano. Segundo ele, o procedimento será permitido com base em critérios rígidos. Também falaram ao jornal, os membros da SBTMO, Belinda P. Simões (FMUSP-RP) e Carmem Vergueiro (UFPR).Confira a reportagem na íntegra
Diretor da SBTMO, Bouzas destaca ainda que o assunto tem sido discutido pela Sociedade nas duas últimas reuniões da Sociedade de Diretrizes Brasileiras em Transplante de Células-Tronco Hematopoéticas, em 2009 e 2013, respectivamente. Acesse aqui os artigos publicados no periódico científico Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (vol.32 - supl.1, de maio 2010), em referência as diretrizes traçadas no primeiro encontro promovido pela entidade. 

Cearense Ana Cecília faz transplante de medula pelo SUS, em São Paulo

Criança Ana Cecília consegue transplante pelo SUS (Foto: Arquivo pessoal)

Depois de meses de espera, a menina Ana Cecília Pontes, de 4 anos, de Fortaleza, realizou o transplante de medula óssea necessário à sua sobrevivência. Portadora de leucemia linfoblástica aguda, a menina recebeu a medula da irmã, Letícia, em um procedimento realizado no sábado (25), no Instituto de Tratamento do Câncer Infantil (Itaci), em São Paulo (SP).
O transplante foi realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sem que houvesse a necessidade de utilizar os recursos disponibilizados pelo Governo do Estado do Ceará para que fosse realizado em um hospital particular, o Albert Einstein, de São Paulo. A vaga no Itaci surgiu 3 dias antes do procedimento marcado no Hospital Albert Einstein.

Em fevereiro deste ano, a mãe de Ana Cecília, Juliana Nobre, ajuizou uma ação na Justiça requerendo que o Estado do Ceará pagasse todos os custos necessários ao transplante - cerca de R$ 500 mil - bem como o pagamento das despesas da irmã, que era a doadora compatível. A ação se fez necessária por não haver vaga disponível no Itaci e dada à urgência necessária para realização do procedimento,  devido à gravidade do estado de saúde de Ana Cecília. Em 12 de março, o Governo do Estado disponibilizou os recursos.
O transplante teve que ser adiado por conta de complicações de saúde de Ana Cecília e, com isso, surgiu uma vaga em um hospital público, o Itaci. De acordo com Ítalo Malveira, pai de Ana Cecília, o transplante foi realizado com sucesso. "Ela foi internada na quinta-feira (23)  e submetida a sessões de rádio e quimioterapia para que a medula dela fossse destruída e pudesse receber a da irmã", conta.
A irmã de Ana Cecília, Letícia, foi internada na noite de sexta-feira (24) e recebeu alta em 24 horas. "Ana Cecília continua no hospital por tempo indeterminado até que a medula recebida seja "aceita" pelo organismo. Como a medula da irmã era 100% compatível, o transplante é de baixo risco e a esperança é de que esse processo demore o mínimo possível", diz o pai.
Ítalo Malveira comemora o resultado do procedimento e o fato de ter sido realizado em hospital das rede pública. "Não precisamos utilizar o dinheiro do Estado e aqui [no Itaci] temos o tratamento necessário e eficiente para a recuperação da Ana Cecília".

Ana Cecília recebe medula óssea da irmã

Finalmente teve desfecho a luta da pequena Ana Cecília, de apenas 4 anos, que desde 2011 lutava por um transplante de medula óssea. No último sábado (25) a esperança da família da pequena menina se renovou. O motivo foi a doação da medula de sua irmã, Letícia. O procedimento aconteceu no Instituto de Tratamento de Câncer Infantil (Itaci), em São Paulo.
De acordo com a família da menina, Cecília está se recuperando muito bem, e não houve nenhuma complicação no pós-operatório. Ainda segundo a família, o procedimento foi autorizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e nenhuma verba do Governo do Estado foi utilizada. 

Campanha
Dona Lísia não vê a hora de dar um abraço apertado na neta. A avó da pequena Ana Celília, 4 anos, que está em São Paulo para tratar de uma Leucemia Linfóide Aguda, aguarda ansiosa a volta para casa da menina, que se tornou mais um símbolo de superação na luta contra a doença. 

O drama da família se arrasta há dois anos, quando descobriu a leucemia em Ana Cecília, após notar um caroço no pescoço da criança. Teve início uma peregrinação em hospitais até o diagnóstico definitivo.

O tratamento foi iniciado em Fortaleza, onde Cecília foi submetida a várias sessões de quimioterapia. A menina respondeu bem e fez um teste de compatibilidade com uma das irmãs, de 6 anos. O resultado foi 100 por cento positivo. Para ajudar na luta pela recuperação da pequena, a TV Cidade lançou uma campanha para ajudar na permanência da menina em São Paulo, com o intuito de continuar o tratamento.

Luta
Ana Cecília foi diagnosticada com um tumor, em junho de 2011. A doença evoluiu e se transformou em um câncer na medula. Desde então, a menina realiza tratamento para se livrar da doença. No entanto, em agosto de 2012, os médicos descobriram que Cecília precisa de um transplante de medula para ficar curada. A irmã de Cecília, Larissa, de 7 anos, tem a medula compatível e deve ser a doadora.

Por conta disso, a menina se mudou com os pais para São Paulo, onde o tratamento e a cirurgia poderiam ser feitos.

Desde dezembro do ano passado, os pais de Ana Cecília fazem campanha nas redes sociais para ajudar a arrecadar fundos para o transplante. Entretanto, para antecipar a cirurgia, os pais da garota entraram com ação na Justiça exigindo que o Governo do Estado custeasse o procedimento.

sábado, 25 de maio de 2013

Fundação Pró-Sangue precisa de doações

Transfusão de sangue é fundamental para o sucesso do tratamento de pacientes submetidos a transplante de órgãos, em terapia para o câncer e portadores de outras doenças
O estoque da Fundação Pró-Sangue está em estado crítico. O nível total de bolsas está 65% abaixo do ideal para abastecer mais de 100 instituições de saúde da rede pública de São Paulo.



Um dos fatores que contribui para esse cenário é o tempo seco, responsável por várias doenças respiratórias. A Fundação indica que as doações sejam feitas preferencialmentede 2ª a 6ª, quando o tempo de espera no atendimento é menor.

A transfusão de sangue é fundamental para o sucesso do tratamento de pacientes submetidos a transplante de órgãos, em terapia para o câncer e portadores de outras doenças. O sangue também é crítico para a sobrevida de recém-nascidos prematuros e de pessoas que sofreram graves acidentes. Por isso, a doação de sangue é essencial. Participe você também desse gesto de solidariedade.

Os postos da Fundação Pró-Sangue atendem em seis locais distintos, veja abaixo qual a mais próxima de sua residência ou trabalho e programe-se. 

Posto Clínicas
Av. Dr. Enéas Carvalho de Aguiar, 155 1º andar - Cerqueira César - São Paulo
ver mapa
De segunda a sexta-feira, das 7 às 19h
Sábados e feriados, das 8 às 18h
Fechado aos domingos
Estacionamento gratuito para carros, por até duas horas - Garagem Subterrânea Clínicas (exceto para carros com sistema Sem Parar/Via Fácil);
para motos, há 6 vagas gratuitas (sujeitas à disponibilidade e sem cobertura de seguro) em área específica reservada a esse tipo de veículo, na
Rua Dr. Ovídio Pires de Campos, antes da cancela, do lado esquerdo.
30/05 (quinta-feira) - das 08 às 18 horas
31/05 (sexta-feira) - das 08 às 18 horas
01/06 (sábado) - das 08 às 18 horas
02/06 (domingo) - fechado

Posto Dante Pazzanese
Av. Dr. Dante Pazzanese, 500 - Ibirapuera - São Paulo
ver mapa
De segunda a sexta, das 8 às 17h
Sábados, das 8 às 16h
Fechado aos domingos e feriados
30/05 (quinta-feira) - fechado
31/05 (sexta-feira) - das 08 às 17 horas

Posto Regional de Osasco
Rua Ari Barroso, 355 - Presidente Altino - Osasco
ver mapa
De segunda a sexta-feira, das 8 às 17h
Sábados, 1º, 3º e 5º de cada mês, das 8 às 16h
Fechado nos demais sábados, domingos e feriados
30/05 (quinta-feira) - fechado
31/05 (sexta-feira) - das 08 às 17 horas
01/06 (sábado) - das 08 às 16 horas

Posto Barueri
R. Angela Mirella, 354 Térreo - Jd. Barueri - Barueri
ver mapa
* próximo à Av. Sebastião Davino dos Reis
De segunda a sexta-feira, das 8 às 16h
Fechado aos sábados, domingos e feriados
30/05 (quinta-feira) - fechado
31/05 (sexta-feira) - fechado

Posto Mandaqui
R. Voluntários da Pátria, 4227 - Mandaqui - São Paulo
ver mapa
De segunda a sexta-feira, das 12 às 18h
Fechado aos sábados, domingos e feriados
30/05 (quinta-feira) - fechado
31/05 (sexta-feira) - das 12 às 18 horas

Posto Pedreira
R. João Francisco de Moura, 251 - Jd. Campo Grande - São Paulo
ver mapa
De segunda a sexta-feira, das 7h30 às 12h30
Sábados, 1º, 3º e 5º de cada mês, das 7h30 às 16h30
Fechado nos demais sábados, domingos e feriados
30/05 (quinta-feira) - fechado
31/05 (sexta-feira) - das 7h30 às 12h30
01/06 (sábado) - das 7h30 às 16h30

Do Portal do Governo do Estado

Adolescente de 15 anos com leucemia precisa de doações

foto

Geovanna Fachine Bazan de Almeida, de 15 anos, que tem leucemia, está internada há duas semanas no Hospital El Kadri e precisa urgentemente de doação de plaquetas e sangue. O tipo sanguíneo dela é B+ e a doação de plaquetas pode ser realizada por pessoas de qualquer tipagem. Para doar, é preciso comparecer ao Hemosul e dizer que a doação é em nome de Geovanna. 
O Hemosul recebe doações de segunda a sexta-feira das 7h às 17h30min e também aos sábados até às 12h. Porém, amanhã (25), excepcionalmente, o Hemosul não abrirá para fazer atualização do sistema.  
Interessados devem procurar o Hemosul, que fica na Avenida Fernando Corrêa da Costa, 1.304, Centro da Capital. Também é possível agendar a doação ou tirar dúvidas pelo telefone (67) 3312-1517.
Doador 
Para ser doador é necessário ter entre 16 e 68 anos. No ato da doação é preciso estar bem alimentado e não ter consumido qualquer tipo de bebida alcoólica nas últimas 12 horas. O doador deve apresentar um documento com foto (carteira de identidade, trabalho ou habilitação). Menores de idade só podem doar mediante autorização dos pais ou responsáveis.
Antes da coleta de sangue as pessoas têm de responder um questionário de saúde. O sangue coletado passa por exames preliminares. Homens podem doar até quatro vezes ao ano, com intervalo de dois meses de uma doação para outra. Já mulheres podem doar no ano até três vezes, respeitando uma pausa de três meses entre as doações. 

NorteShopping e HemoRio promovem campanha de doação de sangue

Com a intenção de aumentar o estoque de sangue do HemoRio, o NorteShopping em parceria com a Universidade Estácio de Sá terá um posto de coleta móvel para doações e orientações sobre a importância dessa atitude no dia 27/05, das 09h às 14h. A meta desta campanha é atingir 120 bolsas, um aumento de 20% em relação ao ano passado. A coleta é aberta ao público e será realizada nas salas 411 e 412 da Universidade Estácio de Sá, no 4º piso do shopping.  

Os doadores precisam ter entre 16 e 68 anos, pesar no mínimo 50 quilos, não estar em jejum (evitar apenas alimentos gordurosos até três horas antes da doação), não apresentar problemas de saúde e levar documento de identificação oficial com foto. Menores de idade (16 e 17 anos) também podem doar sangue, mas é necessário apresentação de uma autorização assinada pelo responsável legal. O documento de autorização está disponível no site do Hemorio (www.hemorio.rj.gov.br).

Além disso, não é possível doar sangue, provisoriamente, pessoas com: febre (acima de 37°C), gripadas ou resfriadas, gravidez atual (90 dias após o parto normal e de 180 após a cesariana), amamentação (até um ano após o parto), uso de alguns medicamentos, anemia, cirurgias, extração dentária de até 72h, pessoas que estejam um ano sem doar e tenham feito tatuagem nesse período e transfusão de sangue (não podem doar por um ano). 

Outras dúvidas podem ser esclarecidas na entrevista clínica que antecede à doação. O NorteShopping fica na Avenida Dom Hélder Câmara, 5.474, no Cachambi. 

Após perder bebê, empresária tem hemorragia e pede doações de sangue



A empresária Adriana Oliveira está internada em estado delicado na UTI do Hospital Amecor, em Cuiabá. Adriana teve hemorragia interna após perder um bebê no oitavo mês de gravidez.

Segundo amigos do casal, Adriana estava com um coágulo no fígado, que estourou e causou a hemorragia. Os médicos chegaram a realizar o parto na tentativa de salvar o bebê, o que não ocorreu.

Por conta da hemorragia, a empresária perde muito sangue. Familiares fazem campanha nas redes sociais para doação de sangue. Para colaborar com a campanha e ajudar a empresária, basta procurar Hemocentro, que fica ao lado da Santa Casa de Cuiabá.

Para doar, a pessoa deve indicar o nome da Adriana Oliveira, que está na UTI da Amecor.

O pai da criança que Adriana perdeu é o presidente do Detran, Gian Castrillon.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Caxiense diagnosticada com Leucemia precisa de doação de sangue



Ana Beatriz precisa de sangue para continuar o tratamento
Ana Beatriz precisa de sangue para continuar o tratamento

A família de Ana Beatriz Lima de Sousa Rios, de apenas 2 anos de idade, natural de Caxias (MA), está pedido a quem possa doar com urgência, sangue do tipo A- ou O-.
A garotinha foi diagnosticada com leucemia. Ela encontra-se internada no Hospital São Marcos, em Teresina (PI)
Para as doações de sangue, entrar em contato através dos telefones (99)8202-4908(Fátima) ou 8169-4392(Maria da Cruz).

Critérios básicos para doação de sangue
Quem pode doar
Pessoas entre 16 e 67 anos. Mas, atenção: se o candidato à doação de sangue tem entre 16 e 17 anos ou mais de 60 anos, é importante conhecer as Normas e documentos necessários para doação de sangue. Os demais critérios são válidos para todos.
Quem tem e está com boa saúde;
Quem pesa acima de 50 kg;
Quem dorme bem na noite anterior à doação;
Mulheres, mesmo se menstruadas ou em uso de anticoncepcionais.

Fonte: Mano Santos/Direto da Redação

Jovens de Araxá, MG, promovem campanha para doação de sangue


Organizadora da campanha afirmou que o objetivo é ajudar o próximo (Foto: Reprodução/ TV Integração)Organizadora afirmou que objetivo é ajudar
ao próximo (Foto: Reprodução/ TVIntegração)
Um grupo de jovens cooperativistas da Cooperativa Agropecuária de Araxá Ltda (Capal) promovem uma campanha para reunir voluntários para doar sangue neste sábado (25). Como na cidade não há local de coleta, eles formarão uma comitiva e viajam, às 7h, em um ônibus da Prefeitura para o Hemocentro Regional de Uberaba.
De acordo com uma das organizadoras, Nislene Aparecida de Brito, o objetivo da campanha é ajudar ao próximo. “Estamos conscientizado todos os jovens para participar do movimento”, afirmou.
Segundo Nislene, os interessados podem procurar o Sindicato dos Produtores Rurais, na Rua Ângela Marques Torres, nº 200, no Centro de Araxá, ou ligar no (34) 3691-5071. “Preciso informar todos os requisitos, a forma de doação e quem pode ou não participar”, disse.
O Hemocentro de Uberaba atende 27 instituições hospitalares. Por meio dessa unidade, a Fundação Hemominas realiza mais de 1.200 coletas de sangue e 1.600 transfusões de hemocomponentes por mês. Cerca de 170  pessoas que desejam doar medula óssea são cadastradas mensalmente.
Etapas realizadas antes da doação
Antes de doar sangue, o voluntário precisa passar por três etapas. A primeira consiste no cadastro de dados pessoas e em seguida são feitos questionamentos sobre a saúde da pessoa, teste de anemia, verificação da pressão arterial e peso do doador. Já a terceira etapa é chamada de Voto de Auto Exclusão, na qual o doador informa se tem comportamento de risco para Aids.

Hemorio convoca mulheres em campanha de doação de sangue


Entre os dias 22 e 24 de maio, das 9h às 15h, o Hemorio, órgão da Secretaria de Saúde, promove a 10ª edição da campanha Mulher + Solidária. A ação busca alertar o público feminino para a doação voluntária de sangue. Além do tema, o evento conta com outros serviços de informação e saúde para mulher como palestras sobre prevenção do câncer de mama e do colo de útero, transplante de medula óssea e avaliação postural, além de serviços gratuitos para saúde e beleza como aferição de pressão arterial, índice de massa corporal, glicemia capilar e massagem corporal. A madrinha desta edição da campanha é a atriz Letícia Spiller. 
Hoje, no Estado do Rio de Janeiro, mais da metade da população é do sexo feminino. No entanto, no salão de doadores do hemocentro, elas respondem por 35% do comparecimento. Nos últimos anos, os índices aumentaram em 5%. 
O Hemorio é o hemocentro coordenador que distribui sangue e derivados para 180 hospitais públicos e conveniados com o Sistema Único de Saúde - SUS. Para ser um candidato à doação de sangue, é necessário trazer um documento oficial de identidade com foto (original), estar bem de saúde, ter entre 16 e 67 anos e pesar mais de 50 quilos. 
Jovens com 16 e 17 anos podem doar sangue com declaração expressa dos pais e/ou responsáveis, cujo modelo pode ser encontrado no site www.hemorio.rj.gov.br. Não é preciso estar de jejum, mas é importante evitar alimentos muito gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação. Os doadores serão cadastrados e vão responder um questionário que avalia se há alguma situação ou doença que impeça a doação de sangue e, em seguida, são encaminhados para a triagem clínica. 
Para mais informações, o voluntário pode entrar em contato com o Disque Sangue (0800 282 0708), onde são esclarecidas dúvidas e informados os endereços dos outros 26 postos de coleta distribuídos pelo Rio de Janeiro. O Hemorio fica na Rua Frei Caneca, 08 - Centro e funciona todos os dias (inclusive sábados, domingos e feriados) das 7 às 18 horas.

EDUARDA PRECISA DE DOADORES DE MEDULA ÓSSEA


Eduarda precisa de doadores de medula óssea
Foto: Divulgação
A família de Eduarda Valle Ros Tudela, de 7 anos, vive desde outubro do ano passado um drama. É uma luta contra o tempo para encontrar um doador de medula óssea que seja compatível com a menina. Ela foi diagnosticada com aplasia de medula e somente um transplante pode salvá-la. “Estivemos no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, para uma segunda opinião, e eles a desenganaram, não souberam dizer como ainda está viva”, diz a mãe Renata Tudela.
Os pais de Eduarda tem outra filha, de 2 anos, porém, nenhum dos três têm compatibilidade para ajudar a menina. No caso de Eduarda, as chances de encontrar um doador compatível é de um para cada 100 mil. “No cadastro nacional, nenhuma das três milhões de pessoas computadas são compatíveis. Na semana passada, recebemos a notícia de que também não foi encontrado doador compatível nos EUA e Alemanha, daí já se soma mais oito milhões de doadores”, desabafa a mãe.
Eduarda precisa de doadores de medula óssea
Foto: Divulgação

Por isso, a família corre contra o tempo, tentando levar o maior número possível de pessoas para aumentar este cadastro e, quem sabe, encontrar o tão procurado doador compatível. Eles são de Indaiatuba, mas vivem em Campinas, pois a pequena Eduarda ficou quatro meses internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Centro Infantil Boldrini, ao qual deixou há um mês, mas retorna frequentemente para receber transfusão de sangue e de plaquetas. O procedimento se chama imunossupressão e é o que a deixa viva.
COMO AJUDAR - A família pede ainda que as pessoas que fizeram o exame para a coleta, também possam doar sangue em nome da menina.  Estão aptos a fazer a coleta de material genético para exames e entrada no cadastro de Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) os Hemonúcleos de Ribeirão Preto, Barretos, Campinas, Piracicaba, Araçatuba, Presidente Prudente, Franca, Fernandópolis, Bebedouro, Batatais e Olímpia.
Estes são apenas alguns centros no interior do Estado de São Paulo, porém, como o cadastro é nacional, qualquer pessoa que fizer a coleta em qualquer parte do país, pode vir a ser um possível doador.
Procedimentos
1. Você precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante);
2. É possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos Hemocentros nos estados. Para moradores de Campinas e Região procurar o Boldrini das 08 horas às 12 horas, Mario Gatti das 08 horas às 14 horas, de segunda-feira a sexta-feira ou o Hemocentro (Unicamp portaria 04) de segunda-feira e sábado das 08 horas às 15 horas;
3. Será retirada por sua veia uma pequena quantidade de sangue (5ml) e preenchida uma ficha com informações pessoais; Seu sangue será tipificado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante. Seu tipo de HLA será incluído no cadastro; Seus dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea constantemente. Se você for compatível com algum paciente, outros exames de sangue serão necessários;
4. Se a compatibilidade for confirmada, você será consultado para confirmar que deseja realizar a doação. Seu atual estado de saúde será avaliado;
5. A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas.

fonte>>http://www.portalk3.com.br/Artigo/saude--bem-estar/eduarda-precisa-de-doadores-de-medula-ossea