sábado, 18 de maio de 2013

Campanha de doação de sangue alcança meta de 257 bolsas em Luzilândia.


A campanha de doação de sangue “Vidas por Vidas” realizada nos dias 10 e 11 de maio em Luzilândia conseguiu atingir o total de 257 bolsas de sangue coletadas, superando as expectativas dos organizadores. As informações são da equipe que coordenou o projeto que, em seu relatório, divulgou ainda que foram alcançados um total  de 74 doadores de medula óssea.

  A campanha foi realizada pela Igreja Adventista do Sétimo Dia em parceria com o HEMOPI (Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí) e apoio da Secretaria Municipal de Saúde e Prefeitura Municipal de Luzilândia e teve como objetivo promover a solidariedade e ajudar a salvar vidas, contribuindo na manutenção do banco de sangue do HEMOPI.
O trabalho dos voluntários começou desde o final do mês de abril com a mobilização da sociedade. No total 310 pessoas se cadastraram para doarem sangue, 53 desses foram constatados inaptos por estarem fazendo uso de algum medicamento ou com anemia, “ com a triagem 53 dos voluntários não passaram na 4 fase porque foram constatados o uso de medicamentos temporários ou estavam com anemia”, diz o relatório.

De acordo ainda com o relatório, o número de doadores poderia ser maior, mas uma virose de gripe que acomete a cidadetambém impediu o processo de doação. “Grande parte dos doadores regulares ou novos doadores não conseguiu dar sua contribuição, pelo fato de estarem impedidos temporariamente por uma virose (gripe) que assolava a cidade no período da campanha, e um dos requisitos para está apto à doar é não está gripado”, descreve.

Mesmo com o contratempo, a equipe que organizou a campanha “Vidas por Vidas” se mostrou satisfeita com o resultado. “Apesar dos contratempos essa foi uma das mais satisfatórias campanhas. Atingimos a meta e conseguimos chamar a atenção da população luzilandense e municípios vizinhos que nos ajudaram a alcançar o maior número de “Anjos doadores de sangue”. 

Para a Coordenadora de Estratégia de Saúde da Família da Secretaria Municipal de Saúde, Samara Leal, além da manutenção do estoque, a iniciativa da campanha contribui para a conscientização e aumento do número de doadores na região. “A população contribui com a coleta porque é uma forma de ajudar o próximo, e as pessoas nunca sabem quando elas mesmas podem precisar de sangue, é um ato de solidariedade” pondera Samara.



Papel social
Quem é doador de sangue cumpre seu papel social. Assim afirma o estudante Aldemir Resende (foto ao lado), de 20 anos, que pela terceira vez contribui com a coleta de sangue. “ A primeira vez que doei foi para ajudar a avó de uma amiga, vi de perto o quanto algumas pessoas precisam, virei voluntário”, afirma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário