quarta-feira, 22 de maio de 2013

EDUARDA PRECISA DE DOADORES DE MEDULA ÓSSEA


Eduarda precisa de doadores de medula óssea
Foto: Divulgação
A família de Eduarda Valle Ros Tudela, de 7 anos, vive desde outubro do ano passado um drama. É uma luta contra o tempo para encontrar um doador de medula óssea que seja compatível com a menina. Ela foi diagnosticada com aplasia de medula e somente um transplante pode salvá-la. “Estivemos no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, para uma segunda opinião, e eles a desenganaram, não souberam dizer como ainda está viva”, diz a mãe Renata Tudela.
Os pais de Eduarda tem outra filha, de 2 anos, porém, nenhum dos três têm compatibilidade para ajudar a menina. No caso de Eduarda, as chances de encontrar um doador compatível é de um para cada 100 mil. “No cadastro nacional, nenhuma das três milhões de pessoas computadas são compatíveis. Na semana passada, recebemos a notícia de que também não foi encontrado doador compatível nos EUA e Alemanha, daí já se soma mais oito milhões de doadores”, desabafa a mãe.
Eduarda precisa de doadores de medula óssea
Foto: Divulgação

Por isso, a família corre contra o tempo, tentando levar o maior número possível de pessoas para aumentar este cadastro e, quem sabe, encontrar o tão procurado doador compatível. Eles são de Indaiatuba, mas vivem em Campinas, pois a pequena Eduarda ficou quatro meses internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Centro Infantil Boldrini, ao qual deixou há um mês, mas retorna frequentemente para receber transfusão de sangue e de plaquetas. O procedimento se chama imunossupressão e é o que a deixa viva.
COMO AJUDAR - A família pede ainda que as pessoas que fizeram o exame para a coleta, também possam doar sangue em nome da menina.  Estão aptos a fazer a coleta de material genético para exames e entrada no cadastro de Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) os Hemonúcleos de Ribeirão Preto, Barretos, Campinas, Piracicaba, Araçatuba, Presidente Prudente, Franca, Fernandópolis, Bebedouro, Batatais e Olímpia.
Estes são apenas alguns centros no interior do Estado de São Paulo, porém, como o cadastro é nacional, qualquer pessoa que fizer a coleta em qualquer parte do país, pode vir a ser um possível doador.
Procedimentos
1. Você precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante);
2. É possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos Hemocentros nos estados. Para moradores de Campinas e Região procurar o Boldrini das 08 horas às 12 horas, Mario Gatti das 08 horas às 14 horas, de segunda-feira a sexta-feira ou o Hemocentro (Unicamp portaria 04) de segunda-feira e sábado das 08 horas às 15 horas;
3. Será retirada por sua veia uma pequena quantidade de sangue (5ml) e preenchida uma ficha com informações pessoais; Seu sangue será tipificado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante. Seu tipo de HLA será incluído no cadastro; Seus dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea constantemente. Se você for compatível com algum paciente, outros exames de sangue serão necessários;
4. Se a compatibilidade for confirmada, você será consultado para confirmar que deseja realizar a doação. Seu atual estado de saúde será avaliado;
5. A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas.

fonte>>http://www.portalk3.com.br/Artigo/saude--bem-estar/eduarda-precisa-de-doadores-de-medula-ossea

Nenhum comentário:

Postar um comentário