sábado, 18 de maio de 2013

Mãe supera sofrimento e se dedica a campanhas de doação de sangue e alimentos

HEMORIO - Dudu e sua mãe Erika 1


Esse será o segundo Dia das Mães que a dona de casa Erika Passos e seu filho Eduardo passarão longe de casa. Mas isso não significa que a data será triste, pois eles têm muito o que comemorar. A família Passos vivia no Paraná, mas uma peça do destino fez com que eles permanecessem no Rio de Janeiro para um tratamento na rede pública de saúde do Estado.
Em 2011, durante uma viagem de férias para o Rio, Eduardo sentiu algumas dores e foi encaminhado para o Hospital Universitário do Fundão. Lá, o menino foi diagnosticado com leucemia, o que prolongou a estadia da família na cidade.
- Eu fiquei muito angustiada, pois já tinha perdido uma prima por leucemia e pensei que também poderia perder meu filho. Eu não conseguia encontrar esperanças e me sentia isolada, longe dos meus familiares e amigos – contou Erika.
Eduardo, então, começou a ser tratado no setor de Hematologia do próprio Hospital do Fundão, o que fez com que Erika adiasse sua volta para casa. Além de todo o drama que o câncer pode trazer para uma família, a mãe de 37 anos ainda sofreu com a ida de Ana Helena, sua filha de 12 anos, de volta ao Paraná.
- Me separar da minha filha foi um dos momentos mais duros de todo esse processo. Eu e meu marido resolvemos permanecer no Rio para acompanhar o tratamento do Dudu, mas a Ana Helena teve que voltar para casa. Afinal, ela não podia abandonar a escola e suas atividades. Foi como se eu tivesse que escolher entre um filho ou outro.
Para lidar com tanto sofrimento, Erika encontrou forças na solidariedade a na união com outras mães de pacientes da rede pública de saúde, criando uma verdadeira corrente do bem.
- Eu me sentia sozinha e, quando mais precisei, recebi total apoio do Governo e de outras mães. Foi muito reconfortante saber que as pessoas se mobilizam para ajudar umas às outras, doando sangue, leite em pó e fraldas. Eu também não tinha onde morar, então o Governo do Estado me amparou e conseguiu uma casa de apoio para minha estadia.
Hoje, após 1 ano e 7 meses de tratamento, a medula de Eduardo já está livre do câncer e o menino continua recebendo sessões de quimioterapia para evitar que a leucemia volte a se desenvolver. Para retribuir toda a assistência que recebeu durante o período, Erika passou a organizar mutirões de doação no Hemorio.
- Eu me senti responsável por retribuir tudo o que fizeram por mim. A partir da melhora do Dudu, comecei a organizar mutirões no Hemorio, convocando a população para doar sangue, alimentos e fraldas para outras crianças com doenças hematológicas. No final, todas as mães de pacientes se tornam irmãs e é com muita gratidão que eu continuo fazendo campanhas para ajudar essa grande família.
Neste Dia das Mães, Erika e Dudu vão contar com a presença de Ana Helena, que veio do Paraná comemorar essa data tão especial com a mamãe e o irmão. De acordo com os médicos, Dudu terá alta daqui a 20 semanas, podendo voltar definitivamente ao Paraná. Erika está feliz, mas ela e seu filho já garantiram que sentirão saudades do Estado que os acolheu tão bem.
  • Clique para aumentar HEMORIO_-_Dudu_1.JPG
  • Clique para aumentar HEMORIO_-_Dudu_e_sua_mãe_Erika_1.JPG
  • Clique para aumentar HEMORIO_-_mae_Erika_e_Dudu_2.jpg
  •  

Nenhum comentário:

Postar um comentário