segunda-feira, 6 de maio de 2013

Mobilização no Facebook pela doação de medula óssea

Mobilização no Facebook pela doação de medula óssea Caio Marcelo/Agencia RBS

Uma mobilização por rede social na internet aumentou a esperança de vida de uma menina de dez anos, paciente de Leucemia LLA-B, um tipo de câncer que ataca as células brancas do sangue e deixa o corpo sem proteção contra doenças. Combinado através de um evento no Facebook, vários voluntários compareceram ao Hemosc, no Centro de Florianópolis, para aumentar o número de candidatos para doação de medula óssea no Redome, cadastro nacional de doadores de medula óssea. 

Mais de mil pessoas estão à espera em todo Brasil e o cadastro é muito simples. Basta ter entre 18 e 55 anos e estar saudável. Após preenchimento de um breve formulário, retira-se 5 ml de sangue para o exame de histocompatibilidade (HLA), onde serão identificadas as características de suas células. Todo o processo leva em torno de 15 minutos.

:::Confira a galeria de fotos 
Na última quinta-feira, a Hora contou um pouco da história da Franciele Santos, 27 anos, que há um ano aguarda um doador compatível. Em sua página no Facebook, foram vários exemplos de pessoas que se sensibilizaram com a causa e foram até o hemocentro fazer a sua parte. A doação de medula óssea é a única chance de sobrevivência para portadores de leucemia. Veja como ajudar.

Você pode ser o doador que alguém procura
Para ser doador de medula óssea e salvar vidas, o primeiro passo é fazer o cadastro no hemocentro ou banco de sangue mais próximo. Com um documento de identidade com foto (obrigatório), o candidato preenche um breve formulário e retira 5 ml de sangue para o exame de histocompatibilidade (HLA), onde serão identificadas as características de suas células. Todo o processo leva em torno de 15 minutos.

Diferente da doação de sangue, para fazer o cadastro não há tantas restrições. Basta ter entre 18 e 55 anos e estar em bom estado de saúde. 

Como funciona 
Após o exame HLA, as informações genéticas são incluídas no Redome e ficam lá até que alguém precise. O que pode levar anos, como explica a coordenadora do setor de captação do Hemosc, Roseli Sandrin.

_ É muito importante manter o cadastro atualizado. As mudanças de endereço ou telefone devem ser informadas sempre, para que o candidato seja encontrado o mais breve possível Quando houver compatibilidade, o doador é chamado para exames complementares._explica.

Como se tornar um doador de Medula Óssea 
- Você deve ter entre 18 e 55 anos de idade e estar saudável.

- O candidato precisa apresentar um documento de identidade e preencher um formulário. Em seguida 5 ml de sangue serão retirados para o exame de histocompatibilidade (HLA), para identificar as características genéticas. 

- Os dados do candidato são enviados ao Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), sob responsabilidade do Instituto Nacional do Câncer, no Rio de Janeiro. O cadastro fica no sistema até o candidato completar 60 anos e deve ser atualizado sempre que houver mudança de endereço ou telefone. 

- Se for encontrado um paciente compatível, o doador será chamado para exames complementares, para depois decidir se doa ou não. 

- O transplante de medula óssea não é feito em Santa Catarina. O doador será encaminhado para a unidade de saúde determinada pelo Inca, onde fará a retirada da medula óssea do interior dos ossos da bacia. O procedimento leva 15 dias para a recuperação. Todos os custos são bancados pelo SUS.

- Na Grande Florianópolis, o cadastro pode ser feito no Hemosc, na Avenida Othon Gama D'Eça, 756, Centro. O horário de atendimento é das 7h15min às 18h30min.

fonte>>http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2013/05/mobilizacao-no-facebook-pela-doacao-de-medula-ossea-4126432.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário