segunda-feira, 6 de maio de 2013

Quase sete meses após transplante, João Bombeirinho vai à escola


Esta foi a primeira vez que o menino de Maringá pôde frequentar a aula.
Aos sete anos, ele virou símbolo da luta contra a leucemia no Paraná.

Quase sete meses depois de fazer o transplante de medula óssea, o garoto João Daniel, de sete anos, pôde, finalmente, ir à escola, nesta sexta-feira (3). O menino de Maringá, no norte do Paraná, sofreu de leucemia durante três anos e, nesse tempo, acabou virando símbolo da luta contra a doença no Paraná.
Esse foi o primeiro dia de aula de João Bombeirinho, como ficou conhecido durante a campanha para conseguir um doador. O apelido veio do desejo de se tornar bombeiro quando crescer. Com a repercussão do caso, ele chegou a ganhar um uniforme da corporação.

Para ele, a ida à escola foi motivo de festa não só pelas aulas, mas em razão das mudanças que houve após o transplante. “Sem agulha, sem injeção, sem ficar internado. Vida nova”, resume.
Os pais de João, Nelson e Ana Paula também comemoraram o primeiro dia de aula do filho. “A gente acredita nisso, que a vida dele, daqui para frente, vai ser só alegria”, diz a mãe.
Festa
Na escola, João Bombeirinho foi recebido com festa. As professoras decidiram preparar uma comemoração para o novo aluno famoso da turma. “Nós estamos celebrando a vida, a solidariedade, o amor ao próximo, com a doação de medula óssea”, explica a diretora Maracelis Gezualdo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário