domingo, 2 de junho de 2013

Família de rapaz com doença rara faz campanha sobre medula óssea



Everton Kruger, 16, recebeu o diagnóstico de anemia aplástica entre dezembro de 2012 e janeiro deste ano. Ele é morador de Rio Bonito do Iguaçu e procurou o médico quando sentiu sintomas parecidos com os de uma forte gripe. A febre constante é o principal sintoma que persiste até mesmo durante o tratamento, de acordo com uma familiar do adolescente, Mareli Ferreira.
O jovem está em tratamento desde que a doença foi diagnosticada e ficando internado por vários dias para realizar transfusão de sangue e tentar amenizar a febre. “Ele sempre está fraco, então, acaba ficando muito tempo no hospital”, relatou Mareli.
Além da fraqueza sentida por Everton, outro motivo do internamento intenso e regular é a medicação feita de forma injetável, “ele faz transfusões sempre que necessário e recebe plaquetas”, disse.
A principal esperança de cura para a doença é o transplante de medula óssea. Na intenção de encontrar um doador compatível com Everton, a família e os amigos se mobilizaram e estão fazendo campanhas na internet, rádios e jornais. No próximo dia 15, em Laranjeiras do Sul, haverá uma unidade móvel, fazendo o cadastro de pessoas que querem ser doadoras de medula e recolhendo doações de sangue. Quem for de outras cidades, mas quer doar, é só ir até o hospital – ou Hemocentro – mais próximo e fazer a doação para o garoto.
Mareli, assim como toda a família e amigos, faz um apelo: “eu peço que as pessoas procurem as unidades e façam o exame de medula. Se sensibilizem com a situação; a gente não sabe o dia de amanhã. Pensem melhor e ajudem, não só o Everton, mas também outras pessoas”.
A doença
A anemia aplástica é uma doença autoimune e idiopática, ou seja, não tem causa definida. Atinge a medula óssea, que deixa de produzir a quantidade de sangue necessária para o organismo.
Para identificar a doença é necessária a realização de alguns exames, como hemogramas, biópsia da medula óssea. Entre os principais sintomas da doença estão a fadiga, falta de ar, taquicardia e palidez, além de infecções frequentes e hemorragias constantes.
Para doar
Guarapuava: Hemocentro Regional de Guarapuava, localizado na Rua Afonso Botelho, 134, 85070-165. Telefone: (42) 3622-2819. O hemocentro está aberto de segunda a sexta, durante o horário comercial. Para fazer o cadastro de doador de medula é preciso levar documento com foto e ter mais de 18 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário