segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Falta de leitos prejudica transplantes de medula no HC de Ribeirão Preto

Pedro aguarda leito no Hospital das Clínicas em Ribeirão Preto para realizar transplante de medula óssea (Foto: Paulo Souza/EPTV)

Pedro Sanchez tem 2 anos e desde outubro do ano passado sofre com leucemia aguda, doença que afeta as células sanguíneas e leva o paciente à morte, caso não realize um transplante de medula óssea. A chance de encontrar um doador compatível em casos como esse é pequena: um para cada 500 mil pessoas. Entretanto, os pais de Pedro se depararam com uma situação ainda mais preocupante, a falta de leitos para realizar o procedimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
No Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (SP), onde Pedro realiza o tratamento, existem somente seis leitos para esse tipo de procedimento, sendo dois para pacientes infantis. A fila de espera é de seis meses.
“Em 22 de maio descobrimos um doador na Alemanha, que tem o mesmo tipo sanguíneo do Pedro. Acontece que não havia nenhuma data disponível para ele fazer o transplante e isso se tornou angustiante. O mais importante, que era o doador, ele conseguiu, mas disseram que teria que aguardar uma vaga”, conta a decoradora Nara Sanchez, mãe do garoto, que foi comunicada sobre uma possível data para realização da cirurgia em setembro. “É uma luz no fim do túnel.”
Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto possui apenas seis leitos para transplante de medula óssea: fila de espera é de seis meses (Foto: Maurício Glauco/EPTV)

*

Nenhum comentário:

Postar um comentário