segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Droga experimental para câncer de medula aumenta sobrevida



Uma droga experimental da Novartis para tratar um tipo de câncer de medula óssea atingiu seu objetivo primário em um estudo clínico de fase avançada, disse a farmacêutica suíça nesta sexta-feira, 6.
Um teste de Fase 3 observou que a droga LBH589, quando combinada a bortezomib e dexametasona, estendeu significativamente a sobrevida livre de progressão em pacientes com mieloma múltiplo reincidente ou reincidente e refratário, quando comparada a um tratamento com apenas bortezomib e dexametasona.
O mieloma múltiplo é um câncer que começa nos plasmócitos da medula e interrompe a produção de células sanguíneas normais. A doença afeta cerca de 1 a 5 pessoas em cada 100 mil no mundo, anualmente, e atinge tipicamente indivíduos com mais de 50 anos.
A Novartis disse que o medicamento tem o potencial de se tornar um dos primeiros em uma nova classe de tratamento para a doença, que é incurável.
"Dado seu mecanismo de ação, o LBH589 tem o potencial de ser uma importante opção de tratamento para o mieloma múltiplo", disse o vice-presidente mundial de oncologia da Novartis, Alessandro Riva.