segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Bolsas de sangue são dispensadas devido a quantidade de gordura Coordenadora do hemonúcleo orienta alimentação saudável entre doadores.


Em Presidente Prudente, de 3 a 5% das coletas apresentam o problema.

 A atitude é cheia de boa vontade. Mas, ao chegar ao balcão do Banco de Sangue de Presidente Prudente, muitos doadores de primeira viagem esbarram na pergunta: “Você já almoçou? Tem três horas de intervalo?” Além de não observar o período sem alimentação, o cardápio escolhido para a última refeição piora tudo.

“Eu tinha acabado de almoçar, comi um salgado com bastante molho e tomei refrigerante, e vim direto pra cá. Por falta de conhecimento, eles me mandaram de volta porque a gordura do sangue estava muito alta e eu tive que doar no dia seguinte”, afirma o funcionário público, José Gregório da Silva.

A Organização Mundial de Saúde determina que o sangue recebido de uma doação tenha no máximo 10% de gordura. Quando esse limite é ultrapassado, fica mais difícil identificar doenças transmissíveis, como hepatites b e c, aids, sífilis e chagas. Por isso, a bolsa acaba sendo descartada.

Na Santa Casa de Presidente Prudente, de 3 a 5% das bolsas coletadas apresentam o problema. E olha que isso acontece mesmo depois de uma conversa com as enfermeiras, e de um teste, feito minutos antes da doação. Nessa etapa, todos os meses, cerca de 100 potenciais doadores acabam sendo reprovados.

“Na pré-triagem, quando realizamos o exame de anemia e detectamos na amostrinha de sangue, um pouquinho a mais de gordura, é conversado com o doador e ele retorna mais tarde ou retorna um dia depois”,  explica a médica coordenadora do hemonúcleo, Ângela Norcia.

Segundo a coordenadora, muitos seguem o conselho. Mas, também existem os que não retornam e esse é o problema. Por isso, a orientação é para que, ao decidir doar sangue, a pessoa tome alguns cuidados.

“O jejum é de três horas de alimentação gordurosa, ou se fizer uma alimentação mais copiosa no final de semana, que venha um dia depois”, aponta Ângela.

É o que esses doadores fizeram, com uma alimentaçao leve e muita solidariedade, ajudaram a salvar vidas. “A feijoada não pode e o churrasquinho também, é melhor deixar para o final de semana. No dia de doar não. Só uma comidinha leve mesmo”, afirma o auxiliar de motorista, Jurandir Santos.


http://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/noticia/2014/10/bolsas-de-sangue-sao-dispensadas-devido-quantidade-de-gordura.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário